quinta-feira, 30 de junho de 2022

Alphajets voltam a voar em Beja

Alphajets voltam a voar na Base Aérea de Beja. Inseridos nas comemorações do 70º aniversário da Força Aérea Portuguesa, 2 Alphajets que fazem parte dos Flying Bulls vão exibir-se no próximo domingo, 3 de Julho, em Beja.

Os Flying Bulls são constituidos entre outros por quatro jatos Alphajet totalmente operacionais e desmilitarizados pertencem à frota dos Flying Bulls. Fabricado em colaboração pelas empresas Dassault, Breguet e Dornier, a versão militar desta aeronave foi implantada numa boa dúzia de forças de defesa nacional entre as quais a Força Aérea Portuguesa num passado recente. 

Por causa de suas propriedades de voo perfeitas e da sua confiabilidade técnica, o Alpha Jet foi e continua a ser utilizado como uma aeronave de treino, instrução, ataque e acrobacia aérea (Patrouille de France). Depois da Luftwaffe alemã decidir encerrar as operações dos seus 175 jatos Alpha Jet no início dos anos noventa, alguns seguiram para Portugal e outros foram preservados e armazenados na guarnição de Fuerstenfeldbruck. 

Assim vamos voltar a ter o Alphajet de novo a voar na Base Aérea 11 de Beja e aqui ficam algumas fotos da chegada com as Instalações carateristicas da BA11 como fundo. Fiquem bem. Jorge Ruivo e até dia 3 de Julho


















































Alphajets voltam a voar na Base Aérea de Beja. Inseridos nas comemorações do 70º aniversário da Força Aérea Portuguesa, 2 Alphajets que fazem parte dos Flying Bulls vão exibir-se no próximo domingo, 3 de Julho, em Beja.

Os Flying Bulls são constituidos entre outros por quatro jatos Alphajet totalmente operacionais e desmilitarizados pertencem à frota dos Flying Bulls. Fabricado em colaboração pelas empresas Dassault, Breguet e Dornier, a versão militar desta aeronave foi implantada numa boa dúzia de forças de defesa nacional entre as quais a Força Aérea Portuguesa num passado recente. 

Por causa de suas propriedades de voo perfeitas e da sua confiabilidade técnica, o Alpha Jet foi e continua a ser utilizado como uma aeronave de treino, instrução, ataque e acrobacia aérea (Patrouille de France). Depois da Luftwaffe alemã decidir encerrar as operações dos seus 175 jatos Alpha Jet no início dos anos noventa, alguns seguiram para Portugal e outros foram preservados e armazenados na guarnição de Fuerstenfeldbruck. 

Assim vamos voltar a ter o Alphajet de novo a voar na Base Aérea 11 de Beja e aqui ficam algumas fotos da chegada com as Instalações carateristicas da BA11 como fundo. Fiquem bem. Jorge Ruivo e até dia 3 de Julho


















































terça-feira, 21 de junho de 2022

Real Thaw 2022

 

Real Thaw, o maior exercicio da Força Aérea Portuguesa vai realizar-se de 26 de Junho a 8 de Julho na Base Aérea de Beja.


Este exercicio vai permitir avaliar e certificar as capacidades operacionais da Força Aérea, e treinar com aliados da NATO. Este exercício pretende preparar os militares da Força Aérea, Marinha e Exército, e dos países participantes a atuar em operações conjuntas potenciando a interoperabilidade entre todos. 

O RT22 oferece aos participantes uma oportunidade única de planear e executar missões, com o objetivo de integrar e sincronizar diferentes domínios para resolver um problema tático. O cenário só é possível devido ao espírito de resiliência e o empenho dos militares e civis da Força Aérea, que continuam a cumprir com rigor e qualidade a sua missão.

Participam neste Real Thaw oito nações, Portugal( 10xF-16; C-130, C-295; EH-101; P-3P Cup+; 2x AW119; TACP; NOTP; BRR; BM ) Bélgica ( 6x F16; TACP), França (5x Rafale; E-3F; A-330 MRTT), Estados Unidos (18x F-16CJ; KC-135), Espanha ( 5x EF-2000), NATO (2x E-3A), Holanda (TACP) e Lituânia (TACP).

Este exercício multidisciplinar ambiciona potenciar o treino conjunto e fornecer aos participantes uma vasta gama de missões táticas, com a intenção de partilhar conhecimentos, aumentar a integração, promover a inovação e fortalecer laços entre os parceiros da NATO.

Fonte www.emfa.pt





































 

Real Thaw, o maior exercicio da Força Aérea Portuguesa vai realizar-se de 26 de Junho a 8 de Julho na Base Aérea de Beja.


Este exercicio vai permitir avaliar e certificar as capacidades operacionais da Força Aérea, e treinar com aliados da NATO. Este exercício pretende preparar os militares da Força Aérea, Marinha e Exército, e dos países participantes a atuar em operações conjuntas potenciando a interoperabilidade entre todos. 

O RT22 oferece aos participantes uma oportunidade única de planear e executar missões, com o objetivo de integrar e sincronizar diferentes domínios para resolver um problema tático. O cenário só é possível devido ao espírito de resiliência e o empenho dos militares e civis da Força Aérea, que continuam a cumprir com rigor e qualidade a sua missão.

Participam neste Real Thaw oito nações, Portugal( 10xF-16; C-130, C-295; EH-101; P-3P Cup+; 2x AW119; TACP; NOTP; BRR; BM ) Bélgica ( 6x F16; TACP), França (5x Rafale; E-3F; A-330 MRTT), Estados Unidos (18x F-16CJ; KC-135), Espanha ( 5x EF-2000), NATO (2x E-3A), Holanda (TACP) e Lituânia (TACP).

Este exercício multidisciplinar ambiciona potenciar o treino conjunto e fornecer aos participantes uma vasta gama de missões táticas, com a intenção de partilhar conhecimentos, aumentar a integração, promover a inovação e fortalecer laços entre os parceiros da NATO.

Fonte www.emfa.pt





































quinta-feira, 16 de junho de 2022

A Holanda opta pelo K/C-390 Millenium para a substituição dos seus C-130 Hercules.

 

O Secretário de Estado da Defesa da Holanda, Christophe van der Maat, escreveu à Câmara dos Representantes que um sucessor do Koninklijke Luchtmacht (KLu, Força Aérea Real Holandesa) C-130H/C-130H-30 Hercules foi encontrada no Embraer C-390M Millennium.

Onde se pensava originalmente que o Super Hercules teria sido a aeronave de substituição mais óbvia, ficou mais claro quando rumores entre os militares holandeses indicaram uma possível preferência pelo transportador Embraer (K)C-390 Millennium.

O plano inicial era adquirir quatro novas aeronaves, agora são cinco. Na Real Força Aérea Holandesa existe a necessidade de mais horas de voo e com uma expansão de 2.400 para 4.000 horas de voo, as unidades podem ser suportadas melhor e com mais frequência. A Holanda também contribui para preencher um déficit europeu. A capacidade adicional de transporte também beneficia a agilidade na resposta a possíveis calamidades.

A opção para a escolha do Millennium é que esta aeronave será superior ao C-130J Super Hercules. A disponibilidade do C-390M é maior, pontua melhor em vários requisitos operacionais e técnicos e requer menos manutenção. Além disso, o C-390M já pode atender ao requisito mínimo de 2.400 horas de voo com quatro aeronaves. O C-130J precisa de cinco aeronaves para isso.

De acordo com as informações, espera-se que o primeiro C-390M Millennium seja entregue em 2026.

Fonte: Scramble









































 

O Secretário de Estado da Defesa da Holanda, Christophe van der Maat, escreveu à Câmara dos Representantes que um sucessor do Koninklijke Luchtmacht (KLu, Força Aérea Real Holandesa) C-130H/C-130H-30 Hercules foi encontrada no Embraer C-390M Millennium.

Onde se pensava originalmente que o Super Hercules teria sido a aeronave de substituição mais óbvia, ficou mais claro quando rumores entre os militares holandeses indicaram uma possível preferência pelo transportador Embraer (K)C-390 Millennium.

O plano inicial era adquirir quatro novas aeronaves, agora são cinco. Na Real Força Aérea Holandesa existe a necessidade de mais horas de voo e com uma expansão de 2.400 para 4.000 horas de voo, as unidades podem ser suportadas melhor e com mais frequência. A Holanda também contribui para preencher um déficit europeu. A capacidade adicional de transporte também beneficia a agilidade na resposta a possíveis calamidades.

A opção para a escolha do Millennium é que esta aeronave será superior ao C-130J Super Hercules. A disponibilidade do C-390M é maior, pontua melhor em vários requisitos operacionais e técnicos e requer menos manutenção. Além disso, o C-390M já pode atender ao requisito mínimo de 2.400 horas de voo com quatro aeronaves. O C-130J precisa de cinco aeronaves para isso.

De acordo com as informações, espera-se que o primeiro C-390M Millennium seja entregue em 2026.

Fonte: Scramble









































domingo, 22 de maio de 2022

Feliz Aniversário Chipmunk - 76 anos a voar

 

Desenhado para suceder ao Tiger Moth, o Chipmunk voou pela primeira vez em Downsview, Toronto no dia 22 de maio de 1946. Embora o desigh tenha sido desenvolvido pela De Havilland Aircraft of Canadá Ltd, o seu principal designer foi um polaco, Wsiewolod Jakimiuk. O protótipo tinha um motor de 108 Kw (145 hp) De Havilland Gipsy Major 1C. 

Em Portugal, com o objectivo de modernizar a instrução de voo a aeronáutica militar substitui os velhos Tiger Moth por 10 Chipmunks que vieram para Portugal em 1951 e em 1952 com o nascimento da FAP, os Chipmunk fazem a transição para a Força Aérea Portuguesa. Também em 1952 as OGMA começam sob licença a construção de 66 unidades em que a última saiu da linha de montagem em 13 de fevereiro de 1961. 

Em 1956 os Chipmunk são transferidos para São Jacinto para a Esquadra de Pilotagem onde mantém a missão até 1989, no entanto entre estas datas alguns foram colocados em diversas Base Aéreas em Portugal para em 1989 serem transferidos para a BA1 Sintra onde foram desactivados entrando ao serviço os actuais Epsilon. Alguns foram cedidos a vários Aeroclubes e 7 foram entregues à Academia da Força Aérea com o objectivo de rebocar planadores e estes 7 foram recentemente remotorizados com motores Lycoming de 180 cv com 4 cilindros horizontais arrefecidos a ar. 

Os Chipmunks mais conhecidos em Portugal são o CS-AZX, antigamente pertencente ao Cmdt J. Munkelt Gonçalves e o D-EECC ( ex-G-CHPI ) que pertence ao Cmdt José Costa. Ambas as aeronaves são presença em festivais aéreos onde nos deliciam com as suas capacidades de performance e demonstração aérea. Tive o privilégio por mais do que uma vez efetuar uns voos nestas máquinas fantásticas por Santarém e eu com este contributo pretendo também aqui os homenagear e agradecer. Muito mais haveria para dizer sobre o Chipmunk, mas vou ficar por aqui. Fiquem bem. Jorge Ruivo.








































 

Desenhado para suceder ao Tiger Moth, o Chipmunk voou pela primeira vez em Downsview, Toronto no dia 22 de maio de 1946. Embora o desigh tenha sido desenvolvido pela De Havilland Aircraft of Canadá Ltd, o seu principal designer foi um polaco, Wsiewolod Jakimiuk. O protótipo tinha um motor de 108 Kw (145 hp) De Havilland Gipsy Major 1C. 

Em Portugal, com o objectivo de modernizar a instrução de voo a aeronáutica militar substitui os velhos Tiger Moth por 10 Chipmunks que vieram para Portugal em 1951 e em 1952 com o nascimento da FAP, os Chipmunk fazem a transição para a Força Aérea Portuguesa. Também em 1952 as OGMA começam sob licença a construção de 66 unidades em que a última saiu da linha de montagem em 13 de fevereiro de 1961. 

Em 1956 os Chipmunk são transferidos para São Jacinto para a Esquadra de Pilotagem onde mantém a missão até 1989, no entanto entre estas datas alguns foram colocados em diversas Base Aéreas em Portugal para em 1989 serem transferidos para a BA1 Sintra onde foram desactivados entrando ao serviço os actuais Epsilon. Alguns foram cedidos a vários Aeroclubes e 7 foram entregues à Academia da Força Aérea com o objectivo de rebocar planadores e estes 7 foram recentemente remotorizados com motores Lycoming de 180 cv com 4 cilindros horizontais arrefecidos a ar. 

Os Chipmunks mais conhecidos em Portugal são o CS-AZX, antigamente pertencente ao Cmdt J. Munkelt Gonçalves e o D-EECC ( ex-G-CHPI ) que pertence ao Cmdt José Costa. Ambas as aeronaves são presença em festivais aéreos onde nos deliciam com as suas capacidades de performance e demonstração aérea. Tive o privilégio por mais do que uma vez efetuar uns voos nestas máquinas fantásticas por Santarém e eu com este contributo pretendo também aqui os homenagear e agradecer. Muito mais haveria para dizer sobre o Chipmunk, mas vou ficar por aqui. Fiquem bem. Jorge Ruivo.








































sexta-feira, 20 de maio de 2022

Escadron de Chasse 3/30 "Lorraine" ganha o Silver Tiger em Araxos

 

A Esquadra de caça 3/30 "Lorraine" foi a grande vencedora do Silver Tiger do Tigermeet que decorreu em Araxos, na Grécia.

Para além do Silver Tiger  Esquadra também foi a vencedora do melhor Avião Tigre e aindo do melhor Uniforme. Melhor OPS foi para a Esquadra 31 Belga e por fim a Esquadra 221 VrL da Republica Checa foi a vencedora do Jogos Tigre. 

Tiger!Tiger!Tiger!

Fonte: Nato Tigers, Foto: FAF



































 

A Esquadra de caça 3/30 "Lorraine" foi a grande vencedora do Silver Tiger do Tigermeet que decorreu em Araxos, na Grécia.

Para além do Silver Tiger  Esquadra também foi a vencedora do melhor Avião Tigre e aindo do melhor Uniforme. Melhor OPS foi para a Esquadra 31 Belga e por fim a Esquadra 221 VrL da Republica Checa foi a vencedora do Jogos Tigre. 

Tiger!Tiger!Tiger!

Fonte: Nato Tigers, Foto: FAF



































segunda-feira, 16 de maio de 2022

Os Stingers comemoram 105 anos - Força Aérea da Bélgica

 

Com origem durante a Primeira Guerra Mundial, a Esquadra 1 "Stingers" evoluiu ao longo de mais de um século desde o Sopwith Camel até se tornar numa esquadra multifuncional equipada hoje com o F-16 MLU.

Como a unica Esquadra operacional na Bélgica ainda em serviço com raizes que remontam à Primeira Guerra Mundial, os Stingers têm o orgulho de menter as tradições e o espirito da sua Esquadra e da Força Aérea Belga.

Para assinalar este marco histórico foi efectuada uma pintura especial alusiva ao momento num dos F-16AM, mais concretamente o FA-57. Um especial agradecimento a Boris Hermand pela cedencia das fotos que ilustram este tema. Fiquem bem, Jorge Ruivo

Fonte: Stingers















































 

Com origem durante a Primeira Guerra Mundial, a Esquadra 1 "Stingers" evoluiu ao longo de mais de um século desde o Sopwith Camel até se tornar numa esquadra multifuncional equipada hoje com o F-16 MLU.

Como a unica Esquadra operacional na Bélgica ainda em serviço com raizes que remontam à Primeira Guerra Mundial, os Stingers têm o orgulho de menter as tradições e o espirito da sua Esquadra e da Força Aérea Belga.

Para assinalar este marco histórico foi efectuada uma pintura especial alusiva ao momento num dos F-16AM, mais concretamente o FA-57. Um especial agradecimento a Boris Hermand pela cedencia das fotos que ilustram este tema. Fiquem bem, Jorge Ruivo

Fonte: Stingers















































quarta-feira, 11 de maio de 2022

A-10 Thunderbolt II - 40 Anos

 

10 de Maio de 1972. O piloto-chefe de testes Howard “Sam” Nelson fez o primeiro voo do protótipo Fairchild Republic YA-10A Thunderbolt II, 71-1369, na Base Aérea de Edwards, no alto deserto do sul da Califórnia.

Um avião que foi construido a partir do seu canhão, nós tivemos por duas vezes a oportunidade de ver estes bichos por cá, a primeira em 2007 e a mais recente no Real Thaw em 2013, ano que coincidiu com o terminus do seu destacamento na Europa. Apesar de muito se falar do seu final de carreira, nos ultmos anos, certo é que eles ainda se mantém bem ativos. Fiquem bem, Jorge Ruivo












































































 

10 de Maio de 1972. O piloto-chefe de testes Howard “Sam” Nelson fez o primeiro voo do protótipo Fairchild Republic YA-10A Thunderbolt II, 71-1369, na Base Aérea de Edwards, no alto deserto do sul da Califórnia.

Um avião que foi construido a partir do seu canhão, nós tivemos por duas vezes a oportunidade de ver estes bichos por cá, a primeira em 2007 e a mais recente no Real Thaw em 2013, ano que coincidiu com o terminus do seu destacamento na Europa. Apesar de muito se falar do seu final de carreira, nos ultmos anos, certo é que eles ainda se mantém bem ativos. Fiquem bem, Jorge Ruivo












































































terça-feira, 10 de maio de 2022

NTM 2022 - Esquadra 301 Jaguares

O Nato Tigermeet já iniciou esta semana na Base Aérea de Araxos, na Grécia e é organizado pela Esquadra 335 Mira que opera o F-16C/D Fighting Falcon. Conta com a presença de 10 Esquadras, 3 Esquadras como observadores e 2 Esquadras como visitantes do evento.

A Esquadra 301 Jaguares que o ano passado organizou o Tigermeet em Beja, estará presente como visitante no decorrer do evento, de acordo com o programa no natotigers.org e possivelmente será com o F-16BM 15120 que está a operar com os depósitos que faziam parte da antiga pintura do 15116.

Em tempo de Tigermeet, certo é que está a voar um F-16 na Base de Aviação de Cça com alusão ao maior e mais antigo exercicio militar da NATO. Fiquem bem. Jorge Ruivo.

natotigers.org


























































O Nato Tigermeet já iniciou esta semana na Base Aérea de Araxos, na Grécia e é organizado pela Esquadra 335 Mira que opera o F-16C/D Fighting Falcon. Conta com a presença de 10 Esquadras, 3 Esquadras como observadores e 2 Esquadras como visitantes do evento.

A Esquadra 301 Jaguares que o ano passado organizou o Tigermeet em Beja, estará presente como visitante no decorrer do evento, de acordo com o programa no natotigers.org e possivelmente será com o F-16BM 15120 que está a operar com os depósitos que faziam parte da antiga pintura do 15116.

Em tempo de Tigermeet, certo é que está a voar um F-16 na Base de Aviação de Cça com alusão ao maior e mais antigo exercicio militar da NATO. Fiquem bem. Jorge Ruivo.

natotigers.org


























































quarta-feira, 4 de maio de 2022

Força Aérea Belga regressa a Monte Real

 

5 F-16 pertencentes à Força Aérea Belga estão destacados na Base Aérea de Monte Real regressando assim às missões de treino que habitualmente  efectuaram no Campo de Tiro de Alcochete antes da fase da pandemia.

São dois F-16AM e três F-16BM, um dos quais com a pintura especial dos 30 anos OCU que é o FB-24 e de acordo com o adsb exchange as aeronaves têm estado a efectuar duas missões de manhã e outras duas de tarde. Fiquem bem, Jorge Ruivo






















 

5 F-16 pertencentes à Força Aérea Belga estão destacados na Base Aérea de Monte Real regressando assim às missões de treino que habitualmente  efectuaram no Campo de Tiro de Alcochete antes da fase da pandemia.

São dois F-16AM e três F-16BM, um dos quais com a pintura especial dos 30 anos OCU que é o FB-24 e de acordo com o adsb exchange as aeronaves têm estado a efectuar duas missões de manhã e outras duas de tarde. Fiquem bem, Jorge Ruivo






















quinta-feira, 28 de abril de 2022

A Esquadra 751 faz 44 anos

 

A Esquadra 751 "Pumas" foi criada em 28 de Abril de 1978. Após o período de descolonização, os SA-330 PUMA sofreram ligeiras modificações e foram aplicados na execução de missões de Busca e Salvamento nas áreas de responsabilidade atribuídas a Portugal no âmbito dos seus compromissos internacionais. 

De salientar que as regiões de responsabilidade de salvamento atribuídas a Portugal, coincidentes com a Região de Informação de Voo (FIR) de Lisboa e Sta. Maria, representam a maior área de responsabilidade da Europa. Além de Busca e Salvamento (SAR) a Esquadra 751executa outras missões, no âmbito estritamente militar, o apoio tático e outras missões de interesse público, como é o caso das missões de vigilância marítima.

Em 2005 a Esquadra 751 passou a contar com o moderno Agusta Westland EH-101 Merlin que veio substituir o consagrado SA-330 PUMA. Este foi um marco extremamente significativo pois permitiu à Esquadra ficar dotada de tecnologia de ponta e também aumentar a sua capacidade de operação. Este aumento de capacidades foi já traduzido centenas de vidas salvas.

Após a introdução do EH-101 "Merlin" existiu uma reestruturação do dispositivo SAR (busca e salvamento) nacional e assim os cerca de 100 militares que compõem a Esquadra 751 trabalham para que a mesma tenha, 24 horas por dia, 365 dias por ano, uma tripulação de alerta permanente na Base Aérea N.º 6, Montijo, uma tripulação e aeronave no AM3 Porto Santo e duas tripulações e duas aeronaves na Base Aérea N.º 4, Lajes "PARA QUE OUTROS VIVAM". Parabéns Pumas.












































































 

A Esquadra 751 "Pumas" foi criada em 28 de Abril de 1978. Após o período de descolonização, os SA-330 PUMA sofreram ligeiras modificações e foram aplicados na execução de missões de Busca e Salvamento nas áreas de responsabilidade atribuídas a Portugal no âmbito dos seus compromissos internacionais. 

De salientar que as regiões de responsabilidade de salvamento atribuídas a Portugal, coincidentes com a Região de Informação de Voo (FIR) de Lisboa e Sta. Maria, representam a maior área de responsabilidade da Europa. Além de Busca e Salvamento (SAR) a Esquadra 751executa outras missões, no âmbito estritamente militar, o apoio tático e outras missões de interesse público, como é o caso das missões de vigilância marítima.

Em 2005 a Esquadra 751 passou a contar com o moderno Agusta Westland EH-101 Merlin que veio substituir o consagrado SA-330 PUMA. Este foi um marco extremamente significativo pois permitiu à Esquadra ficar dotada de tecnologia de ponta e também aumentar a sua capacidade de operação. Este aumento de capacidades foi já traduzido centenas de vidas salvas.

Após a introdução do EH-101 "Merlin" existiu uma reestruturação do dispositivo SAR (busca e salvamento) nacional e assim os cerca de 100 militares que compõem a Esquadra 751 trabalham para que a mesma tenha, 24 horas por dia, 365 dias por ano, uma tripulação de alerta permanente na Base Aérea N.º 6, Montijo, uma tripulação e aeronave no AM3 Porto Santo e duas tripulações e duas aeronaves na Base Aérea N.º 4, Lajes "PARA QUE OUTROS VIVAM". Parabéns Pumas.












































































segunda-feira, 18 de abril de 2022

Frota F-16 atingirá hoje as 100.000 horas de voo

Hoje será atingida a marca das 100.000 horas de voo da frota F-16 da Força Aérea Portuguesa. Um  percurso iniciado com a chegada dos primeiros 4 F-16 no ano de 1994 e que 28 anos depois com uma evolução permanente atinge este marco história.

De acordo com informação da Base Aérea nº5 nas redes sociais, esta marca será atingida com a missão da manhã. O Cannon Two gostaria de enderessar os Parabéns a todos so que fizeram parte e aos que estão atualmente envolvidos neste projecto e que venham muitas mais.





























































Hoje será atingida a marca das 100.000 horas de voo da frota F-16 da Força Aérea Portuguesa. Um  percurso iniciado com a chegada dos primeiros 4 F-16 no ano de 1994 e que 28 anos depois com uma evolução permanente atinge este marco história.

De acordo com informação da Base Aérea nº5 nas redes sociais, esta marca será atingida com a missão da manhã. O Cannon Two gostaria de enderessar os Parabéns a todos so que fizeram parte e aos que estão atualmente envolvidos neste projecto e que venham muitas mais.





























































quinta-feira, 31 de março de 2022

Reabastecedor Aéreo na costa Portuguesa

 

Hoje da parte da tarde esteve um Reabastecedor Aéreo Airbus A310-300 (MRTT) EC-HLA ao largo da costa Portuguesa onde efectuou as manobras habituais e caracteristicas de uma missão de treino de reabastecimento aéreo. Missões de treino necessarias à qualificação dos pilotos de caça.

O ADSB alertou e a meteorologia ajudou ao ficarem visiveis os 3 rastos de condensação na mesma area ao voar com duas aeronaves que eventualmente seriam dois F-16AM da Força Aérea Portuguesa. São bem visiveis os 3 rastos das aeronaves nas duas fotos.

Fonte: ADSB e Radar Box




Fiquem bem. Jorge Ruivo







































 

Hoje da parte da tarde esteve um Reabastecedor Aéreo Airbus A310-300 (MRTT) EC-HLA ao largo da costa Portuguesa onde efectuou as manobras habituais e caracteristicas de uma missão de treino de reabastecimento aéreo. Missões de treino necessarias à qualificação dos pilotos de caça.

O ADSB alertou e a meteorologia ajudou ao ficarem visiveis os 3 rastos de condensação na mesma area ao voar com duas aeronaves que eventualmente seriam dois F-16AM da Força Aérea Portuguesa. São bem visiveis os 3 rastos das aeronaves nas duas fotos.

Fonte: ADSB e Radar Box




Fiquem bem. Jorge Ruivo







































sexta-feira, 25 de março de 2022

Comemorações 70 anos Força Aérea Portuguesa

 


A Força Aérea Portuguesa já publicou no seu site diversas actividades referentes às comemorações dos 70 anos, sob o lema : 70 anos a defender o futuro pelos céus de Portugal e do Mundo".


As datas dos dias de Base Aberta também já são conhecidos:

- 05 Junho - Base Aérea nº6 Montijo

- 17 Julho - Aérodromo de Manobra nº 1 Ovar

- 07 Agosto - Base Aérea nº4 Lajes

- 18 Setembro - Base Aérea nº5 Monte Real

- 24 Setembro - Base Aérea nº1 Sintra

Existe ainda o concurso “Cria e Voa Connosco” que é uma iniciativa da Força Aérea destinada a promover nos jovens o gosto pela aeronáutica e, em simultâneo, desenvolver a sua criatividade artística no âmbito da criação literária ou plastica.

Mais informações no site da Força Aérea: www.emfa.pt






















 


A Força Aérea Portuguesa já publicou no seu site diversas actividades referentes às comemorações dos 70 anos, sob o lema : 70 anos a defender o futuro pelos céus de Portugal e do Mundo".


As datas dos dias de Base Aberta também já são conhecidos:

- 05 Junho - Base Aérea nº6 Montijo

- 17 Julho - Aérodromo de Manobra nº 1 Ovar

- 07 Agosto - Base Aérea nº4 Lajes

- 18 Setembro - Base Aérea nº5 Monte Real

- 24 Setembro - Base Aérea nº1 Sintra

Existe ainda o concurso “Cria e Voa Connosco” que é uma iniciativa da Força Aérea destinada a promover nos jovens o gosto pela aeronáutica e, em simultâneo, desenvolver a sua criatividade artística no âmbito da criação literária ou plastica.

Mais informações no site da Força Aérea: www.emfa.pt






















quinta-feira, 24 de março de 2022

Os Lobos estão de parabéns. A Esquadra 601 comemora 36 anos

 

A Esquadra 601 "Lobos" comemora hoje, dia 24 de março, o seu 36.º Aniversário, nasceu em março de 1986, tendo-lhe sido atribuída como missão primária executar operações de patrulhamento marítimo e de guerra de superfície e subsuperfície e como missão secundária executar operações de busca e salvamento e de minagem.

Durante estes 35 anos, a frota operou duas aeronaves P-3;  a frota de P-3P esteve ao serviço da FAP durante 25 anos, contabilizando mais de 25000 horas de voo. O seu último voo foi realizado no dia 13 de outubro de 2011 para um breve voo de despedida.

O P-3C CUP+, entrou ao serviço operacional em janeiro de 2011 revelando-se uma plataforma extremamente versátil, que permite a execução de um leque alargado de missões sobre a terra, sobre o mar e em condições meteorológicas adversas, com uma enorme autonomia e raio de ação.

As missões que vão desde a Busca e Salvamento, ao Patrulhamento Marítimo, à recolha de informações até às mais exigentes e complexas missões de luta Antisubmarina, Anti-superfície, ISTAR (Intelligence, Surveillance, Target Acquisition and Reconnaissance) e de apoio a Forças Especiais.

A aeronave possui ainda capacidades de C2, Network Centric Warfare (Guerra Centrada em Rede) e de largada de armamento inteligente nomeadamente o Torpedo MK-46 e os mísseis AGM-84 Harpoon e o AGM-65 Maverick, mantendo a capacidade de minagem e largada de bombas de fins gerais, bem como a capacidade de sobrevivência em ambiente hostil.

Graças à excelente capacidade de autonomia do P-3C CUP+, e aos sensores que a equipam esta plataforma pode ser utilizada em operações conjuntas com outras Forças Militares e outros órgãos de Estado em missões específicas de complexidade acrescida, sempre que o interesse nacional assim o determine.


Parabéns aos Lobos e votos de boas missões a fazer jus ao seu lema “Ser-lhe à todo o Oceano obediente”.

Fonte: Força Aérea Portuguesa

 











































 

A Esquadra 601 "Lobos" comemora hoje, dia 24 de março, o seu 36.º Aniversário, nasceu em março de 1986, tendo-lhe sido atribuída como missão primária executar operações de patrulhamento marítimo e de guerra de superfície e subsuperfície e como missão secundária executar operações de busca e salvamento e de minagem.

Durante estes 35 anos, a frota operou duas aeronaves P-3;  a frota de P-3P esteve ao serviço da FAP durante 25 anos, contabilizando mais de 25000 horas de voo. O seu último voo foi realizado no dia 13 de outubro de 2011 para um breve voo de despedida.

O P-3C CUP+, entrou ao serviço operacional em janeiro de 2011 revelando-se uma plataforma extremamente versátil, que permite a execução de um leque alargado de missões sobre a terra, sobre o mar e em condições meteorológicas adversas, com uma enorme autonomia e raio de ação.

As missões que vão desde a Busca e Salvamento, ao Patrulhamento Marítimo, à recolha de informações até às mais exigentes e complexas missões de luta Antisubmarina, Anti-superfície, ISTAR (Intelligence, Surveillance, Target Acquisition and Reconnaissance) e de apoio a Forças Especiais.

A aeronave possui ainda capacidades de C2, Network Centric Warfare (Guerra Centrada em Rede) e de largada de armamento inteligente nomeadamente o Torpedo MK-46 e os mísseis AGM-84 Harpoon e o AGM-65 Maverick, mantendo a capacidade de minagem e largada de bombas de fins gerais, bem como a capacidade de sobrevivência em ambiente hostil.

Graças à excelente capacidade de autonomia do P-3C CUP+, e aos sensores que a equipam esta plataforma pode ser utilizada em operações conjuntas com outras Forças Militares e outros órgãos de Estado em missões específicas de complexidade acrescida, sempre que o interesse nacional assim o determine.


Parabéns aos Lobos e votos de boas missões a fazer jus ao seu lema “Ser-lhe à todo o Oceano obediente”.

Fonte: Força Aérea Portuguesa