quinta-feira, 4 de julho de 2024

Força Aérea intercepta 15 aeronaves nos Bálticos em 3 meses

 

A Força Aérea completou três meses na missão de policiamento aéreo nos Países Bálticos, enhanced Air Policing (eAP) 2024. Durante este período, o destacamento português, composto por quatro F-16AM e um contingente de 95 militares, destacou-se pela interceção de mais de 15 aeronaves, através de vários alertas “Alpha Scramble”, missões reais de defesa aérea.

 

A interceção destas aeronaves é um elemento crucial da missão, que visa garantir a defesa e segurança do espaço aéreo dos Países Bálticos, nomeadamente a Estónia, Letónia e Lituânia. A base das operações do destacamento português é a Base Aérea de Siauliai, na Lituânia.

 

Desde o início da missão NATO Baltic Air Policing, há 20 anos, e com a inclusão do enhanced Air Policing, 17 nações têm contribuído para a segurança do espaço aéreo na região. Esta é a sétima participação da Força Aérea Portuguesa, que já acumula mais de 2 mil horas de policiamento aéreo nos céus dos Bálticos. A interceção de mais de 15 aeronaves nos últimos três meses e missões como esta sublinham o compromisso e a eficácia de Portugal no âmbito da Aliança.

Fonte: FAP


















 

A Força Aérea completou três meses na missão de policiamento aéreo nos Países Bálticos, enhanced Air Policing (eAP) 2024. Durante este período, o destacamento português, composto por quatro F-16AM e um contingente de 95 militares, destacou-se pela interceção de mais de 15 aeronaves, através de vários alertas “Alpha Scramble”, missões reais de defesa aérea.

 

A interceção destas aeronaves é um elemento crucial da missão, que visa garantir a defesa e segurança do espaço aéreo dos Países Bálticos, nomeadamente a Estónia, Letónia e Lituânia. A base das operações do destacamento português é a Base Aérea de Siauliai, na Lituânia.

 

Desde o início da missão NATO Baltic Air Policing, há 20 anos, e com a inclusão do enhanced Air Policing, 17 nações têm contribuído para a segurança do espaço aéreo na região. Esta é a sétima participação da Força Aérea Portuguesa, que já acumula mais de 2 mil horas de policiamento aéreo nos céus dos Bálticos. A interceção de mais de 15 aeronaves nos últimos três meses e missões como esta sublinham o compromisso e a eficácia de Portugal no âmbito da Aliança.

Fonte: FAP


















segunda-feira, 1 de julho de 2024

FORÇA AÉREA PORTUGUESA comemora 72 anos

 

A Força Aérea Portuguesa comemora hoje dia 1 de Julho 72 anos de operação. A Força Aérea escolheu Portimão para comemorar a sua história. Criada em 1 de julho de 1952, celebra anualmente o aniversário em locais distintos, sobretudo naqueles em que a sua presença física não é permanente, permitindo assim chegar a todos os cidadãos. Neste contexto, este ano rumou até Portimão, onde está com uma série de eventos desde 29 de junho atá 7 de julho.


Estão previstas diversas  actividades para dar a conhecer  a Força Aérea à população, tais como: exposição de capacidades, actividades lúdicas; concursos; experiências; exibições aéreas; concertos e uma cerimónia militar.

Cerimónia de hastear e arriar da Bandeira Nacional, da Bandeira do Município e da Força Aérea; Exposição dedicada aos 30 anos de operação do F-16M;-  Exposição estática de aeronaves da Força Aérea; Exposição da Força Aérea com simuladores e ações de divulgação; atividades relacionadas com a vivência militar; demonstrações várias; Concertos populares pela Banda de Música da Força Aérea; Missa Oficial; Cerimónia Militar; Jornadas de Psicologia; Atividades lúdicas e desportivas na Praia da Rocha; Corrida no Autódromo de Portimão; Exibições de meios aéreos da Força Aérea na Praia da Rocha; Batismos de Voo;

O ano 72 fica marcado pela operacionalização do KC-390 Millenium e do UH-60 Blackhawk. 

Fonte: FAP


















 

A Força Aérea Portuguesa comemora hoje dia 1 de Julho 72 anos de operação. A Força Aérea escolheu Portimão para comemorar a sua história. Criada em 1 de julho de 1952, celebra anualmente o aniversário em locais distintos, sobretudo naqueles em que a sua presença física não é permanente, permitindo assim chegar a todos os cidadãos. Neste contexto, este ano rumou até Portimão, onde está com uma série de eventos desde 29 de junho atá 7 de julho.


Estão previstas diversas  actividades para dar a conhecer  a Força Aérea à população, tais como: exposição de capacidades, actividades lúdicas; concursos; experiências; exibições aéreas; concertos e uma cerimónia militar.

Cerimónia de hastear e arriar da Bandeira Nacional, da Bandeira do Município e da Força Aérea; Exposição dedicada aos 30 anos de operação do F-16M;-  Exposição estática de aeronaves da Força Aérea; Exposição da Força Aérea com simuladores e ações de divulgação; atividades relacionadas com a vivência militar; demonstrações várias; Concertos populares pela Banda de Música da Força Aérea; Missa Oficial; Cerimónia Militar; Jornadas de Psicologia; Atividades lúdicas e desportivas na Praia da Rocha; Corrida no Autódromo de Portimão; Exibições de meios aéreos da Força Aérea na Praia da Rocha; Batismos de Voo;

O ano 72 fica marcado pela operacionalização do KC-390 Millenium e do UH-60 Blackhawk. 

Fonte: FAP


















sábado, 29 de junho de 2024

KC-390 Millenium ativado para combate aos incêndios no Brasil

 

A Força Aérea Brasileira (FAB) foi activada para proceder ao combate aos incêndios na região do Pantanal. Pela primeira vez, uma aeronave KC-390 Millennium, operada pelo Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT), está a actuar numa missão real de combate aos incêndios.O KC-390 encontra-se em Corumbá (MS) para atuar na missão de combate a incêndio em voo nas queimadas.

A aeronave multimissão da Força Aérea Brasileira tem capacidade para realizar uma operação segura e equipada com o Sistema Modular Aerotransportável de Combate a Incêndios (MAFFS, do inglês Modular Airborne Fire Fighting System), que fornece ao KC-390 Millennium a funcionalidade necessária para realizar a missão de combate a incêndio em voo.

Esta capacidade o KC-390 Millenium tem, com o uso do MAFFS2, pode lançar até 12.000 litros de água com alta precisão, mesmo sob condições desafiadoras de baixa altitude, baixa velocidade e altas temperaturas.

O MAFFS pode ser rapidamente instalado ou removido do compartimento de carga da aeronave a partir de seu próprio trailer. O sistema requer apenas energia elétrica da aeronave para funcionamento. Trata-se de um elemento altamente vantajoso em operações de combate a incêndios, visto que possui a capacidade de carregar grande volume de água e retardantes de chamas, além de poder ser rapidamente instalado em qualquer aeronave compatível, devido à sua característica de modularidade.

Fonte e fotos: Força Aérea Brasileira
























 

A Força Aérea Brasileira (FAB) foi activada para proceder ao combate aos incêndios na região do Pantanal. Pela primeira vez, uma aeronave KC-390 Millennium, operada pelo Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT), está a actuar numa missão real de combate aos incêndios.O KC-390 encontra-se em Corumbá (MS) para atuar na missão de combate a incêndio em voo nas queimadas.

A aeronave multimissão da Força Aérea Brasileira tem capacidade para realizar uma operação segura e equipada com o Sistema Modular Aerotransportável de Combate a Incêndios (MAFFS, do inglês Modular Airborne Fire Fighting System), que fornece ao KC-390 Millennium a funcionalidade necessária para realizar a missão de combate a incêndio em voo.

Esta capacidade o KC-390 Millenium tem, com o uso do MAFFS2, pode lançar até 12.000 litros de água com alta precisão, mesmo sob condições desafiadoras de baixa altitude, baixa velocidade e altas temperaturas.

O MAFFS pode ser rapidamente instalado ou removido do compartimento de carga da aeronave a partir de seu próprio trailer. O sistema requer apenas energia elétrica da aeronave para funcionamento. Trata-se de um elemento altamente vantajoso em operações de combate a incêndios, visto que possui a capacidade de carregar grande volume de água e retardantes de chamas, além de poder ser rapidamente instalado em qualquer aeronave compatível, devido à sua característica de modularidade.

Fonte e fotos: Força Aérea Brasileira
























quarta-feira, 26 de junho de 2024

Entregue o segundo KC-390 Millennium a Portugal

 

A Embraer entregou hoje na sua sede em Gavião Peixoto,  a segunda aeronave multimissão KC-390 para a Força Aérea Portuguesa (FAP) que  conta com equipamentos de acordo com o padrão da NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte) já integrados à aeronave e em conformidade com os requisitos estabelecidos pela Autoridade Aeronáutica Nacional (AAN) de Portugal.

“A segunda entrega do KC-390 Millennium para a Força Aérea Portuguesa é mais um passo importante no processo de internacionalização da nossa aeronave, que está aumentando seu reconhecimento no mercado, particularmente entre as nações da OTAN. A Força Aérea Portuguesa é um parceiro de longo prazo da Embraer que nos tem apoiado estrategicamente desde o início do programa. Continuaremos trabalhando em conjunto para avançarmos em nossa parceria nos próximos anos”, referiu Bosco da Costa Junior, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança.

“Com a entrega desta segunda aeronave, vamos acelerar a integração desta capacidade diferenciada na Força Aérea Portuguesa, possibilitando o desenvolvimento de missões operacionais e a preparação de mais tripulantes e técnicos de manutenção para o futuro que se aproxima. Já alcançamos resultados com a primeira unidade, e veremos os KC-390 portugueses voando por todo o mundo com a chegada da segunda aeronave, que seguirá comprovando sua capacidade, versatilidade e disponibilidade, além de proporcionar valor agregado de missão para Portugal, seus parceiros e para suas alianças”, referiu o General João Cartaxo Alves, Chefe do Estado-Maior da Força Aérea Portuguesa.

Desde a entrada em operação na Força Aérea Brasileira, em 2019, a FAP encomendou cinco KC-390, incluindo um pacote abrangente de serviços e suporte e um simulador de voo. A primeira aeronave entrou em serviço em outubro de 2023 na Base Aérea de Beja.

O KC-390 comprovou sua capacidade, confiabilidade e desempenho. A atual frota de aeronaves em operação acumula mais de 13.000 horas de voo, com disponibilidade operacional em torno de 80% e taxas de conclusão de missão acima de 99%, demonstrando excepcional produtividade na categoria.

O C-390 pode transportar mais carga útil (26 toneladas) em comparação com outras aeronaves de transporte militar de médio porte e voa mais rápido (470 nós) e mais longe, sendo capaz de realizar uma ampla gama de missões, como transporte e lançamento de cargas e tropas, evacuação aeromédica, busca e salvamento, combate a incêndios e missões humanitárias, operando em pistas não pavimentadas, em superfícies como terra compactada e cascalho.

Fonte e Fotos: Embraer





















 

A Embraer entregou hoje na sua sede em Gavião Peixoto,  a segunda aeronave multimissão KC-390 para a Força Aérea Portuguesa (FAP) que  conta com equipamentos de acordo com o padrão da NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte) já integrados à aeronave e em conformidade com os requisitos estabelecidos pela Autoridade Aeronáutica Nacional (AAN) de Portugal.

“A segunda entrega do KC-390 Millennium para a Força Aérea Portuguesa é mais um passo importante no processo de internacionalização da nossa aeronave, que está aumentando seu reconhecimento no mercado, particularmente entre as nações da OTAN. A Força Aérea Portuguesa é um parceiro de longo prazo da Embraer que nos tem apoiado estrategicamente desde o início do programa. Continuaremos trabalhando em conjunto para avançarmos em nossa parceria nos próximos anos”, referiu Bosco da Costa Junior, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança.

“Com a entrega desta segunda aeronave, vamos acelerar a integração desta capacidade diferenciada na Força Aérea Portuguesa, possibilitando o desenvolvimento de missões operacionais e a preparação de mais tripulantes e técnicos de manutenção para o futuro que se aproxima. Já alcançamos resultados com a primeira unidade, e veremos os KC-390 portugueses voando por todo o mundo com a chegada da segunda aeronave, que seguirá comprovando sua capacidade, versatilidade e disponibilidade, além de proporcionar valor agregado de missão para Portugal, seus parceiros e para suas alianças”, referiu o General João Cartaxo Alves, Chefe do Estado-Maior da Força Aérea Portuguesa.

Desde a entrada em operação na Força Aérea Brasileira, em 2019, a FAP encomendou cinco KC-390, incluindo um pacote abrangente de serviços e suporte e um simulador de voo. A primeira aeronave entrou em serviço em outubro de 2023 na Base Aérea de Beja.

O KC-390 comprovou sua capacidade, confiabilidade e desempenho. A atual frota de aeronaves em operação acumula mais de 13.000 horas de voo, com disponibilidade operacional em torno de 80% e taxas de conclusão de missão acima de 99%, demonstrando excepcional produtividade na categoria.

O C-390 pode transportar mais carga útil (26 toneladas) em comparação com outras aeronaves de transporte militar de médio porte e voa mais rápido (470 nós) e mais longe, sendo capaz de realizar uma ampla gama de missões, como transporte e lançamento de cargas e tropas, evacuação aeromédica, busca e salvamento, combate a incêndios e missões humanitárias, operando em pistas não pavimentadas, em superfícies como terra compactada e cascalho.

Fonte e Fotos: Embraer





















sábado, 15 de junho de 2024

Nato Tiger Meet 2025 regressa a Portugal

 


De acordo com o site natotigers.org a Esquadra 301 Jaguares será a próxima anfitriã do Nato Tiger Meet em 2025 e que deverá realizar-se em Beja.

Significa que vamos voltar a ter um dos maiores eventos militares da Nato e países aliados em solo nacional. Vamos aguardar pelas confirmações oficiais

Fonte: Nato Tigers











 


De acordo com o site natotigers.org a Esquadra 301 Jaguares será a próxima anfitriã do Nato Tiger Meet em 2025 e que deverá realizar-se em Beja.

Significa que vamos voltar a ter um dos maiores eventos militares da Nato e países aliados em solo nacional. Vamos aguardar pelas confirmações oficiais

Fonte: Nato Tigers











sexta-feira, 14 de junho de 2024

A Esquadra 752 Fénix celebra o primeiro aniversário desde que foi reactivada

 


Reactivada em 14 de Junho de 2023, pelo Despacho 38/2023 do CEMFA, renascia a Esquadra 752, rebatizada com o cognome “Fénix”. Esta decisão surgiu com a necessidade de garantir a utilização de todos os recursos ao seu dispor para o cumprimento da missão atribuída, designadamente os compromissos internacionais assumidos pelo Estado relativos aos serviços de Busca e Salvamento e o apoio às missões de interesse público, nomeadamente na assistência às populações na Região Autónoma dos Açores.

A Esquadra opera o EH-101 Merlin em conjunto com a Esquadra 751 Pumas e de acordo com informação da Esquadra 752, nestes 365 dias de actividade foram efectuadas 500 horas de vôo operacionais; 188 horas de vôo de treino;  31 horas de vôo de manutenção; 29 vítimas resgatadas; 264 doentes transportados no Arquipélago dos Açores. Em resumo foram 719 horas de vôo e 293 vidas salvas!

A todos os Fénix votos de parabéns e que continuem a fazer jus ao vosso lema “Para que outros vivam”






























 


Reactivada em 14 de Junho de 2023, pelo Despacho 38/2023 do CEMFA, renascia a Esquadra 752, rebatizada com o cognome “Fénix”. Esta decisão surgiu com a necessidade de garantir a utilização de todos os recursos ao seu dispor para o cumprimento da missão atribuída, designadamente os compromissos internacionais assumidos pelo Estado relativos aos serviços de Busca e Salvamento e o apoio às missões de interesse público, nomeadamente na assistência às populações na Região Autónoma dos Açores.

A Esquadra opera o EH-101 Merlin em conjunto com a Esquadra 751 Pumas e de acordo com informação da Esquadra 752, nestes 365 dias de actividade foram efectuadas 500 horas de vôo operacionais; 188 horas de vôo de treino;  31 horas de vôo de manutenção; 29 vítimas resgatadas; 264 doentes transportados no Arquipélago dos Açores. Em resumo foram 719 horas de vôo e 293 vidas salvas!

A todos os Fénix votos de parabéns e que continuem a fazer jus ao vosso lema “Para que outros vivam”






























quarta-feira, 22 de maio de 2024

Feliz Aniversário Chipmunk - 78 anos a voar

 


Desenhado para suceder ao Tiger Moth, o Chipmunk voou pela primeira vez em Downsview, Toronto no dia 22 de maio de 1946. Embora o desigh tenha sido desenvolvido pela De Havilland Aircraft of Canadá Ltd, o seu principal designer foi um polaco, Wsiewolod Jakimiuk. O protótipo tinha um motor de 108 Kw (145 hp) De Havilland Gipsy Major 1C.

Em Portugal, com o objectivo de modernizar a instrução de voo a aeronáutica militar substitui os velhos Tiger Moth por 10 Chipmunks que vieram para Portugal em 1951 e em 1952 com o nascimento da FAP, os Chipmunk fazem a transição para a Força Aérea Portuguesa. Também em 1952 as OGMA começam sob licença a construção de 66 unidades em que a última saiu da linha de montagem em 13 de fevereiro de 1961.

Em 1956 os Chipmunk são transferidos para São Jacinto para a Esquadra de Pilotagem onde mantém a missão até 1989, no entanto entre estas datas alguns foram colocados em diversas Base Aéreas em Portugal para em 1989 serem transferidos para a BA1 Sintra onde foram desactivados entrando ao serviço os actuais Epsilon. Alguns foram cedidos a vários Aeroclubes e 7 foram entregues à Academia da Força Aérea com o objectivo de rebocar planadores e estes 7 foram recentemente remotorizados com motores Lycoming de 180 cv com 4 cilindros horizontais arrefecidos a ar.

Os Chipmunks mais conhecidos em Portugal são o CS-AZX, antigamente pertencente ao Cmdt J. Munkelt Gonçalves e o D-EECC ( ex-G-CHPI ) que pertence ao Cmdt José Costa. Ambas as aeronaves são presença em festivais aéreos onde nos deliciam com as suas capacidades de performance e demonstração aérea. Tive o privilégio por mais do que uma vez efetuar uns voos nestas máquinas fantásticas por Santarém e eu com este contributo pretendo também aqui os homenagear e agradecer. Muito mais haveria para dizer sobre o Chipmunk, mas vou ficar por aqui. Fiquem bem. Jorge Ruivo.





















 


Desenhado para suceder ao Tiger Moth, o Chipmunk voou pela primeira vez em Downsview, Toronto no dia 22 de maio de 1946. Embora o desigh tenha sido desenvolvido pela De Havilland Aircraft of Canadá Ltd, o seu principal designer foi um polaco, Wsiewolod Jakimiuk. O protótipo tinha um motor de 108 Kw (145 hp) De Havilland Gipsy Major 1C.

Em Portugal, com o objectivo de modernizar a instrução de voo a aeronáutica militar substitui os velhos Tiger Moth por 10 Chipmunks que vieram para Portugal em 1951 e em 1952 com o nascimento da FAP, os Chipmunk fazem a transição para a Força Aérea Portuguesa. Também em 1952 as OGMA começam sob licença a construção de 66 unidades em que a última saiu da linha de montagem em 13 de fevereiro de 1961.

Em 1956 os Chipmunk são transferidos para São Jacinto para a Esquadra de Pilotagem onde mantém a missão até 1989, no entanto entre estas datas alguns foram colocados em diversas Base Aéreas em Portugal para em 1989 serem transferidos para a BA1 Sintra onde foram desactivados entrando ao serviço os actuais Epsilon. Alguns foram cedidos a vários Aeroclubes e 7 foram entregues à Academia da Força Aérea com o objectivo de rebocar planadores e estes 7 foram recentemente remotorizados com motores Lycoming de 180 cv com 4 cilindros horizontais arrefecidos a ar.

Os Chipmunks mais conhecidos em Portugal são o CS-AZX, antigamente pertencente ao Cmdt J. Munkelt Gonçalves e o D-EECC ( ex-G-CHPI ) que pertence ao Cmdt José Costa. Ambas as aeronaves são presença em festivais aéreos onde nos deliciam com as suas capacidades de performance e demonstração aérea. Tive o privilégio por mais do que uma vez efetuar uns voos nestas máquinas fantásticas por Santarém e eu com este contributo pretendo também aqui os homenagear e agradecer. Muito mais haveria para dizer sobre o Chipmunk, mas vou ficar por aqui. Fiquem bem. Jorge Ruivo.