domingo, 22 de fevereiro de 2015

F-16 aterra apenas com metade da asa

Um piloto aluno da Força Aérea dos Estados Unidos aterra em segurança o seu F-16C apesar de ter perdido metade da asa numa colisão aérea com o seu instrutor quando efectuavam uma missão de treino de combate aéreo.O acidente ocorreu em Outubro no Kansas após uma falta de comunicação entre os pilotos quando simulavam um combate ar-ar com uma terceira aeronave, ao efectuarem a aproximação para a abater manobraram um contra o outro e ocorreu a colisão. O instrutor ejectou-se e o seu avião foi destruído no solo enquanto que o aluno apenas com metade de uma asa, voou mais de 100 milhas e regressou à sua base aérea.
De acordo com o Washington Post, os investigadores determinaram que o míssil da ponta da asa direita do F-16C do piloto aluno, atravessou a asa direita do F-16C do instrutor, perto da fuselagem, e de seguida embateu na cauda do F-16C originando a perda de controlo e colisão com o solo. 
A colisão aérea ocorreu a 7.500 pés quando ambos aluno piloto e instrutor terem interpretado mal as manobras e o aluno deixou de visualizar o seu instrutor efectuou uma manobra brusca para a esquerda com o objectivo de perseguir o seu inimigo e abater a terceira aeronave que se preparava para enfrentar em combate simulado.

O instrutor apenas teve ferimentos ligeiros e o aluno trouxe o seu F-16C de regresso para a Base Aérea apenas com metade da asa direita. Ambos os pilotos pertenciam à Esquadra de Combate 125 da National Air Guard em Tulsa, Oklahoma. 
Fonte: Washington Post; Fotos: U.S.Air Force
Fiquem bem. Jorge Ruivo 































Um piloto aluno da Força Aérea dos Estados Unidos aterra em segurança o seu F-16C apesar de ter perdido metade da asa numa colisão aérea com o seu instrutor quando efectuavam uma missão de treino de combate aéreo.O acidente ocorreu em Outubro no Kansas após uma falta de comunicação entre os pilotos quando simulavam um combate ar-ar com uma terceira aeronave, ao efectuarem a aproximação para a abater manobraram um contra o outro e ocorreu a colisão. O instrutor ejectou-se e o seu avião foi destruído no solo enquanto que o aluno apenas com metade de uma asa, voou mais de 100 milhas e regressou à sua base aérea.
De acordo com o Washington Post, os investigadores determinaram que o míssil da ponta da asa direita do F-16C do piloto aluno, atravessou a asa direita do F-16C do instrutor, perto da fuselagem, e de seguida embateu na cauda do F-16C originando a perda de controlo e colisão com o solo. 
A colisão aérea ocorreu a 7.500 pés quando ambos aluno piloto e instrutor terem interpretado mal as manobras e o aluno deixou de visualizar o seu instrutor efectuou uma manobra brusca para a esquerda com o objectivo de perseguir o seu inimigo e abater a terceira aeronave que se preparava para enfrentar em combate simulado.

O instrutor apenas teve ferimentos ligeiros e o aluno trouxe o seu F-16C de regresso para a Base Aérea apenas com metade da asa direita. Ambos os pilotos pertenciam à Esquadra de Combate 125 da National Air Guard em Tulsa, Oklahoma. 
Fonte: Washington Post; Fotos: U.S.Air Force
Fiquem bem. Jorge Ruivo 































Sem comentários:

Publicar um comentário