sexta-feira, 17 de março de 2017

Portugal na corrida para fornecer F-16 à Bulgária


A Bulgária está num processo de selecção do caça que irá substituir no futuro os Mig-29 e uma das possibilidades é a aquisição do F-16 Fighting Falcon a serem fornecidos num processo semelhante ao que está a ocorrer com a Roménia no qual Portugal vendeu 12 caças F-16AM/BM.


F-16AM romeno adquirido a Portugal

A Itália com os seus Eurofighter Typhoon e a Suécia com o Saab Grippen são os outros concorrentes neste processo de aquisição de um novo caça para a Força Aérea da Bulgária.



O facto de Portugal entrar neste processo não significa a redução da frota mas sim a aquisição de novas células aos Estados Unidos sendo a sua modernização efectuada em Portugal como aconteceu com a nossa aquisição do 2º lote de F-16 e a modernização de toda a frota que foi efectuada nas OGMA e em Monte Real.
Fiquem bem. Jorge Ruivo




































































































A Bulgária está num processo de selecção do caça que irá substituir no futuro os Mig-29 e uma das possibilidades é a aquisição do F-16 Fighting Falcon a serem fornecidos num processo semelhante ao que está a ocorrer com a Roménia no qual Portugal vendeu 12 caças F-16AM/BM.


F-16AM romeno adquirido a Portugal

A Itália com os seus Eurofighter Typhoon e a Suécia com o Saab Grippen são os outros concorrentes neste processo de aquisição de um novo caça para a Força Aérea da Bulgária.



O facto de Portugal entrar neste processo não significa a redução da frota mas sim a aquisição de novas células aos Estados Unidos sendo a sua modernização efectuada em Portugal como aconteceu com a nossa aquisição do 2º lote de F-16 e a modernização de toda a frota que foi efectuada nas OGMA e em Monte Real.
Fiquem bem. Jorge Ruivo



































































































domingo, 5 de março de 2017

Iniciou hoje o REAL THAW




REAL THAW 2017 (RT17) é um exercício da Força Aérea, planeado e realizado pelo Comando Aéreo Português, que decorre de 5 a 17 de Março. O objectivo principal é a avaliação e a certificação da capacidade operacional da Força Aérea, num ambiente multinacional de treino conjunto. 




Os objetivos deste exercício são, também, preparar as forças militares para missões internacionais em cenários operacionais e desenvolver a interoperabilidade entre os países e suas forças militares.



O RT17 está baseado na Base Aérea Nº11, em Beja - Portugal, onde estão estacionadas a maior parte das forças de intervenção aérea e terrestre. As instalações do Aeródromo Municipal de Seia também serão utilizadas durante o exercício como "Base Tática", apoiando as operações realizadas nas áreas central e norte do país.

A edição deste ano contará com a participação das seguintes aeronaves:
Portugal: F-16M, Alphajet, C-130H, C-295M, P-3C, Alouette III, EH-101
Espanha: F-18 Hornet, C-212
EUA: C-130J e MC-22 Osprey
França: E-3A Awacs
Bélgica: C-130H
Holanda: C-130H
NATO: E-3A Awacs



Durante o exercício, haverá a um spotterday que será no dia 8 de Março.
Fiquem bem  Jorge Ruivo. Imagens de 2016








































































REAL THAW 2017 (RT17) é um exercício da Força Aérea, planeado e realizado pelo Comando Aéreo Português, que decorre de 5 a 17 de Março. O objectivo principal é a avaliação e a certificação da capacidade operacional da Força Aérea, num ambiente multinacional de treino conjunto. 




Os objetivos deste exercício são, também, preparar as forças militares para missões internacionais em cenários operacionais e desenvolver a interoperabilidade entre os países e suas forças militares.



O RT17 está baseado na Base Aérea Nº11, em Beja - Portugal, onde estão estacionadas a maior parte das forças de intervenção aérea e terrestre. As instalações do Aeródromo Municipal de Seia também serão utilizadas durante o exercício como "Base Tática", apoiando as operações realizadas nas áreas central e norte do país.

A edição deste ano contará com a participação das seguintes aeronaves:
Portugal: F-16M, Alphajet, C-130H, C-295M, P-3C, Alouette III, EH-101
Espanha: F-18 Hornet, C-212
EUA: C-130J e MC-22 Osprey
França: E-3A Awacs
Bélgica: C-130H
Holanda: C-130H
NATO: E-3A Awacs



Durante o exercício, haverá a um spotterday que será no dia 8 de Março.
Fiquem bem  Jorge Ruivo. Imagens de 2016





































































Spermarine Spitfire - 81 anos a voar


Hoje celebra-se o octogésimo primeiro aniversário do 1º voo de Supermarine Spitfire que foi para o ar neste dia com o Capitão José "Mutt"Summers e cuja aeronave voou durante 8 minutos.


Spitfire. Projectado em 1936 por Reginald Mitchel, o mesmo que criou na década de 20 o Supermarine S6, entrou ao serviço em Agosto de 1938 na versão MK I. O seu nome do inglês Spit (cuspir) e fire (fogo), poderá ser traduzido como "cuspidor de fogo" e designa uma pessoa de temperamento explosivo.


O primeiro voo foi efectuado em 5 de Março de 1936, com 9,12m de comprimento e uma envergadura de 11,22 m o Spitfire atingia a velocidade máxima de 582 km/h, propulsionado pelo Rolls Royce Merlin de 12 cilindros em V. Foram construídos ao todo cerca de 20.351 unidades em mais de quarenta versões e para além da Royal Air Force, o Spitfire também foi utilizado como avião de caça pela França, África do Sul, Bélgica, Canadá e Portugal.

Parabéns Spitfire.



















































































Hoje celebra-se o octogésimo primeiro aniversário do 1º voo de Supermarine Spitfire que foi para o ar neste dia com o Capitão José "Mutt"Summers e cuja aeronave voou durante 8 minutos.


Spitfire. Projectado em 1936 por Reginald Mitchel, o mesmo que criou na década de 20 o Supermarine S6, entrou ao serviço em Agosto de 1938 na versão MK I. O seu nome do inglês Spit (cuspir) e fire (fogo), poderá ser traduzido como "cuspidor de fogo" e designa uma pessoa de temperamento explosivo.


O primeiro voo foi efectuado em 5 de Março de 1936, com 9,12m de comprimento e uma envergadura de 11,22 m o Spitfire atingia a velocidade máxima de 582 km/h, propulsionado pelo Rolls Royce Merlin de 12 cilindros em V. Foram construídos ao todo cerca de 20.351 unidades em mais de quarenta versões e para além da Royal Air Force, o Spitfire também foi utilizado como avião de caça pela França, África do Sul, Bélgica, Canadá e Portugal.

Parabéns Spitfire.


















































































quinta-feira, 2 de março de 2017

F-16 Romenos efectuam primeiro reabastecimento aéreo em território romeno.


Pela primeira vez no espaço aéreo romeno foi efectuada uma missão de reabastecimento aéreo com os F-16 pertencentes à Esquadra 53 Warhawks da Base Aérea 86 Borcea.



O reabastecimento foi efectuado pelo KC-135 Stratotanker pertencente 100th ARW ( Air Refueling Wing ) da Base Aérea de Mildnhall no Reino Unido.



A qualificação dos pilotos foi efectuada a uma altitude de aproximadamente 10.000 metros e esta acção aumenta a capacidade de autonomia de voo do F-16 em mais duas horas.
Umas imagens espectaculares da autoria da Força Aérea Romena e o video. Fiquem bem. Jorge Ruivo
Fonte: Cer Senin


































































































Pela primeira vez no espaço aéreo romeno foi efectuada uma missão de reabastecimento aéreo com os F-16 pertencentes à Esquadra 53 Warhawks da Base Aérea 86 Borcea.



O reabastecimento foi efectuado pelo KC-135 Stratotanker pertencente 100th ARW ( Air Refueling Wing ) da Base Aérea de Mildnhall no Reino Unido.



A qualificação dos pilotos foi efectuada a uma altitude de aproximadamente 10.000 metros e esta acção aumenta a capacidade de autonomia de voo do F-16 em mais duas horas.
Umas imagens espectaculares da autoria da Força Aérea Romena e o video. Fiquem bem. Jorge Ruivo
Fonte: Cer Senin

































































































terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Caracóis da Esquadra 103 fazem 64 anos.


Os Caracóis estão de parabéns porque comemoram hoje 64 anos de existência. Historicamente remonta ao ano de 1953 com a entrada ao serviço do T-33A Shooting Star a operar a partir da Base Aérea da Ota que servia para treinar pilotos para o F-84G. Em 1957 com a passagem para a Base Aérea da Tancos passou a designar-se como Esquadra de Instrução Complementar de Pilotagem em Aviões de Combate (EICPAC), mantendo-se ainda nos dias de hoje.


Em 1974 a Esquadra é transferida para a Base Aérea de Monte Real, é designada por Esquadra 103 e em 1980 recebe os elegantes T-38 Talon que operam em Monte Real até serem transferidos em 1987 para a Base Aérea de Beja. O T-33 começou progressivamente a ser desactivado em 1988 e o T-38 terminou definitivamente a sua missão em 1993, ano em que a Esquadra 103 recebeu os Alphajet, de origem alemã, que opera ainda nos dias de hoje.

Tive a oportunidade de fotografar todas estas aeronaves da Esquadra 103 quando iniciei este meu hobby em 1978, aqui por Monte Real, iniciado que foi ainda na era da fotografia a preto e branco. 


Gostaria de referir também os anos em que a Esquadra 103 foi responsável por voltar aos céus a patrulha acrobática Asas de Portugal. Deixo aqui o meu contributo para este importante dia e endereçar os parabéns a todos os actuais e antigos Caracóis. Fiquem bem, Jorge Ruivo




























































Os Caracóis estão de parabéns porque comemoram hoje 64 anos de existência. Historicamente remonta ao ano de 1953 com a entrada ao serviço do T-33A Shooting Star a operar a partir da Base Aérea da Ota que servia para treinar pilotos para o F-84G. Em 1957 com a passagem para a Base Aérea da Tancos passou a designar-se como Esquadra de Instrução Complementar de Pilotagem em Aviões de Combate (EICPAC), mantendo-se ainda nos dias de hoje.


Em 1974 a Esquadra é transferida para a Base Aérea de Monte Real, é designada por Esquadra 103 e em 1980 recebe os elegantes T-38 Talon que operam em Monte Real até serem transferidos em 1987 para a Base Aérea de Beja. O T-33 começou progressivamente a ser desactivado em 1988 e o T-38 terminou definitivamente a sua missão em 1993, ano em que a Esquadra 103 recebeu os Alphajet, de origem alemã, que opera ainda nos dias de hoje.

Tive a oportunidade de fotografar todas estas aeronaves da Esquadra 103 quando iniciei este meu hobby em 1978, aqui por Monte Real, iniciado que foi ainda na era da fotografia a preto e branco. 


Gostaria de referir também os anos em que a Esquadra 103 foi responsável por voltar aos céus a patrulha acrobática Asas de Portugal. Deixo aqui o meu contributo para este importante dia e endereçar os parabéns a todos os actuais e antigos Caracóis. Fiquem bem, Jorge Ruivo



























































sábado, 25 de fevereiro de 2017

25 anos de presença dos F-15E em Lakenheath


Fez esta semana 25 anos que o F-15E Strike Eagle pertencente ao 48th Fighter Wing da Força Aérea dos Estados Unidos, opera a partir da Base Aérea de Lakenheath, no Reino Unido.


Composto por 2 esquadras, a 492th e a 494th, são os unicos Stike Eagle a operar para missões na Europa e em Africa.

CannonTwo já teve a oportunidade de fazer fotografias ar-ar com eles. Fiquem bem, Jorge Ruivo
























































Fez esta semana 25 anos que o F-15E Strike Eagle pertencente ao 48th Fighter Wing da Força Aérea dos Estados Unidos, opera a partir da Base Aérea de Lakenheath, no Reino Unido.


Composto por 2 esquadras, a 492th e a 494th, são os unicos Stike Eagle a operar para missões na Europa e em Africa.

CannonTwo já teve a oportunidade de fazer fotografias ar-ar com eles. Fiquem bem, Jorge Ruivo























































domingo, 12 de fevereiro de 2017

Piloto japonês efectua primeiro voo em F-35

F-35A no RIAT 2016

No passado dia 8 de Fevereiro na Base Aérea de Luke no Arizona voou ao comandos de um F-35 o primeiro piloto de origem japonesa, dando assim continuidade ao programa de aquisição de 42 caças de quinta geração bem como à formação de pilotos e pessoal de manutenção. 
Fonte: JASDF


































































F-35A no RIAT 2016

No passado dia 8 de Fevereiro na Base Aérea de Luke no Arizona voou ao comandos de um F-35 o primeiro piloto de origem japonesa, dando assim continuidade ao programa de aquisição de 42 caças de quinta geração bem como à formação de pilotos e pessoal de manutenção. 
Fonte: JASDF