sábado, 22 de Março de 2014

APEA - Associação Portuguesa Entusiastas da Aviação

Realizou-se no dia 15 de Março mais uma Assembleia Geral Ordinária para apresentação do relatório de contas e discussão de temas da Associação Portuguesa de Entusiastas da Aviação APEA. Sou o associado nº 47 e faço parte desde 1999, ou seja há 15 anos, e nunca me vou esquecer que foi com a APEA que me permitiu uma entrada memorável em Monte Real, um dia para fotografar os últimos A-7P Corsair com o objectivo de contribuir com fotos para um livro que marcaria a despedida da aeronave no activo da Força Aérea Portuguesa. Desde essa data até hoje foram dezenas de eventos com o objectivo de nos juntar neste nosso hobby que é estar muito próximo da aviação seja ela civil ou militar. Faço votos que a associação continue a permitir estes encontros entre a malta, por muitos e muitos anos talvez até quando os aviões já não sejam tripulados... uuupss... então depois como é vou fazer fotografia ar-ar... eheheh. Por falar em fotografia ar-ar, aqui fica a foto da capa da última Zoomlook, da minha autoria,
com um F-18 sobre o canal da mancha. Fiquem bem, Jorge Ruivo
Realizou-se no dia 15 de Março mais uma Assembleia Geral Ordinária para apresentação do relatório de contas e discussão de temas da Associação Portuguesa de Entusiastas da Aviação APEA. Sou o associado nº 47 e faço parte desde 1999, ou seja há 15 anos, e nunca me vou esquecer que foi com a APEA que me permitiu uma entrada memorável em Monte Real, um dia para fotografar os últimos A-7P Corsair com o objectivo de contribuir com fotos para um livro que marcaria a despedida da aeronave no activo da Força Aérea Portuguesa. Desde essa data até hoje foram dezenas de eventos com o objectivo de nos juntar neste nosso hobby que é estar muito próximo da aviação seja ela civil ou militar. Faço votos que a associação continue a permitir estes encontros entre a malta, por muitos e muitos anos talvez até quando os aviões já não sejam tripulados... uuupss... então depois como é vou fazer fotografia ar-ar... eheheh. Por falar em fotografia ar-ar, aqui fica a foto da capa da última Zoomlook, da minha autoria,
com um F-18 sobre o canal da mancha. Fiquem bem, Jorge Ruivo

sábado, 1 de Fevereiro de 2014

555 FS Triple Nickel


Está neste momento estacionado em Portugal o 555th Fighter Squadron de Aviano (Itália), também conhecidos por Triple Nickel, para participarem no grande exercício da Força Aérea Portuguesa, o Real Thaw. Uma esquadra que tem por missão a superioridade aérea ou seja o controlo aéreo e interdição do espaço, de forma a atender objectivos de segurança nacional., é composta por 21 F-16 CM e está ao serviço da NATO para o emprego em operações combinadas. Triple Nickel foi fundado em 1942 durante a Segunda Guerra Mundial e era operado com aviões B-26 Marauder operando a partir de bases em Inglaterra, França e Bélgica. A Esquadra ressurgiu em 1964 com o F-4C Phantom e em 1966 voltou a operações de combate onde obteve 6 vitórias no Sudoeste Asiático em apoio de missões no Vietnam e em 1966 tinham já 14 "kill marks" das quais 4 MIG-21. Durante o ano de 1968 durante as campanhas contra a famosa trilha Ho Chi Minh, os Triple Nickel abateram 39 Mig, sendo 10 Mig-15, 3 Mig-19 e 26 Mig-21 tornando 2 dos seus pilotos ases da USAF, o primeiro Steve Ritchie com 5 vitórias. Em 1974 a Esquadra regressou aos Estados Unidos e nessa altura recebeu o novíssimo F-15 Eagle ficando estacionados na Base Aérea de Luke no Arizona. Após 17 anos e com o regresso à Europa em 1994, mais concretamente para Aviano em Itália, a Esquadra recebeu o F-16, um dos melhores caças do mundo. Por isso meus amigos, vamos ter a oportunidade de estar próximo de uma das esquadras com mais tradição do mundo e estou a falar com experiência de combate real, que é para isso que eles treinam. Nós apenas gostamos de os fotografar. Fiquem bem, Jorge Ruivo







Está neste momento estacionado em Portugal o 555th Fighter Squadron de Aviano (Itália), também conhecidos por Triple Nickel, para participarem no grande exercício da Força Aérea Portuguesa, o Real Thaw. Uma esquadra que tem por missão a superioridade aérea ou seja o controlo aéreo e interdição do espaço, de forma a atender objectivos de segurança nacional., é composta por 21 F-16 CM e está ao serviço da NATO para o emprego em operações combinadas. Triple Nickel foi fundado em 1942 durante a Segunda Guerra Mundial e era operado com aviões B-26 Marauder operando a partir de bases em Inglaterra, França e Bélgica. A Esquadra ressurgiu em 1964 com o F-4C Phantom e em 1966 voltou a operações de combate onde obteve 6 vitórias no Sudoeste Asiático em apoio de missões no Vietnam e em 1966 tinham já 14 "kill marks" das quais 4 MIG-21. Durante o ano de 1968 durante as campanhas contra a famosa trilha Ho Chi Minh, os Triple Nickel abateram 39 Mig, sendo 10 Mig-15, 3 Mig-19 e 26 Mig-21 tornando 2 dos seus pilotos ases da USAF, o primeiro Steve Ritchie com 5 vitórias. Em 1974 a Esquadra regressou aos Estados Unidos e nessa altura recebeu o novíssimo F-15 Eagle ficando estacionados na Base Aérea de Luke no Arizona. Após 17 anos e com o regresso à Europa em 1994, mais concretamente para Aviano em Itália, a Esquadra recebeu o F-16, um dos melhores caças do mundo. Por isso meus amigos, vamos ter a oportunidade de estar próximo de uma das esquadras com mais tradição do mundo e estou a falar com experiência de combate real, que é para isso que eles treinam. Nós apenas gostamos de os fotografar. Fiquem bem, Jorge Ruivo






sexta-feira, 24 de Janeiro de 2014

Real Thaw 2014

Aí está o habitual exercício militar que é organizado pela Força Aérea Portuguesa e que vai decorrer de 3 a 11 de Fevereiro na Base Aérea de Monte Real onde vão ficar as aeronaves participantes estacionadas e que irá decorrer também no terreno nas zonas da Guarda e Seia. O link do exercicio já está na parte direita do blog, no entanto ainda não tem muita informação. No Scramble, o site holandês de aviação refere a presença de F-16 da USAFE, pelo que vamos aguardar pelas informações mais precisas no site da Força Aérea Portuguesa www.emfa.pt .
Fiquem bem, por agora é tudo. Aqui ficam umas fotos dos anos anteriores

Aí está o habitual exercício militar que é organizado pela Força Aérea Portuguesa e que vai decorrer de 3 a 11 de Fevereiro na Base Aérea de Monte Real onde vão ficar as aeronaves participantes estacionadas e que irá decorrer também no terreno nas zonas da Guarda e Seia. O link do exercicio já está na parte direita do blog, no entanto ainda não tem muita informação. No Scramble, o site holandês de aviação refere a presença de F-16 da USAFE, pelo que vamos aguardar pelas informações mais precisas no site da Força Aérea Portuguesa www.emfa.pt .
Fiquem bem, por agora é tudo. Aqui ficam umas fotos dos anos anteriores

sexta-feira, 27 de Dezembro de 2013

Alouette III - Esquadra 552 Zangões

Não queria acabar o ano sem efectuar uma referencia ao Alouette III, aeronave que serve na Força Aérea Portuguesa à 50 anos, tendo sido protagonista ao longo destes anos e a provar a importancia deste magnifico helicoptero nas mais diversas situações e teatros operacionais como foi a Guerra do Ultramar e os destacamentos efectuados em Operações das Nações Unidas entre outras. Criada oficialmente em 24 de Novembro de 1978, a Esquadra 552 foi fruto de uma alteração de nome da então Esquadra 33, em 30 de Setembro de 1986 recebe os helicópteros da então extinta Esq. 551 e em 1993 absorve a Esq. 111, tornando-se a fiel depositária dos valores e tradições de todas as unidades anteriores que operaram o ALIII na Força Aérea, com a responsabilidade que isso acarreta. O Alouette III é a nave que opera a Esquadra e em 1993 ruma a Beja deixando a anterior Base de Tancos, onde ainda hoje se mantém. 

Actualmente a Esquadra 552 é responsável pela formação de pilotos de helicópteros para a Força Aérea e Marinha Portuguesa, garantindo um destacamento permanente no Aeródromo de Manobra nº1 (Ovar ) para busca e Salvamento (SAR) e Evacuações Médicas (MEDEVAC). Todas estas palavras fui buscar ao site da Esquadra, mas gostaria também de acrescentar algo mais,  relacionado com este meu hobby, é que sempre relacionei o Alouette III à Patrulha Rotores de Portugal, actualmente desactivados mas que ao longo dos anos anteriores sempre deliciaram o público com as suas fantásticas actuações. Lembro-me do meu primeiro contacto que foi em 1992 em Sintra os vi os Rotores pela 1º vez. Esta patrulha era motivo para eu me deslocar para os ver actuar até no estrangeiro... Vigo, Múrcia e esperava vê-los actuar no RIAT que este por pouco, por cá desde Viana do Castelo a Portimão  As comemorações da Esquadra 552 em Beja também eram motivos para uma deslocação onde me lembro da de 2007 onde consegui um registo fotográfico fabuloso pela sua quantidade e qualidade. Vou ilustrar este post com algumas das minhas melhores fotos do Alouette III e só para que fique escrito, foi a bordo de um Alouette III que eu fiz fotografia ar-ar com 24 F-16... um recorde que deverá ficar para sempre!!! Um grande bem haja a todos os militares da Esquadra 552 e também à Força Aérea Portuguesa. Fiquem bem, Jorge Ruivo


Não queria acabar o ano sem efectuar uma referencia ao Alouette III, aeronave que serve na Força Aérea Portuguesa à 50 anos, tendo sido protagonista ao longo destes anos e a provar a importancia deste magnifico helicoptero nas mais diversas situações e teatros operacionais como foi a Guerra do Ultramar e os destacamentos efectuados em Operações das Nações Unidas entre outras. Criada oficialmente em 24 de Novembro de 1978, a Esquadra 552 foi fruto de uma alteração de nome da então Esquadra 33, em 30 de Setembro de 1986 recebe os helicópteros da então extinta Esq. 551 e em 1993 absorve a Esq. 111, tornando-se a fiel depositária dos valores e tradições de todas as unidades anteriores que operaram o ALIII na Força Aérea, com a responsabilidade que isso acarreta. O Alouette III é a nave que opera a Esquadra e em 1993 ruma a Beja deixando a anterior Base de Tancos, onde ainda hoje se mantém. 

Actualmente a Esquadra 552 é responsável pela formação de pilotos de helicópteros para a Força Aérea e Marinha Portuguesa, garantindo um destacamento permanente no Aeródromo de Manobra nº1 (Ovar ) para busca e Salvamento (SAR) e Evacuações Médicas (MEDEVAC). Todas estas palavras fui buscar ao site da Esquadra, mas gostaria também de acrescentar algo mais,  relacionado com este meu hobby, é que sempre relacionei o Alouette III à Patrulha Rotores de Portugal, actualmente desactivados mas que ao longo dos anos anteriores sempre deliciaram o público com as suas fantásticas actuações. Lembro-me do meu primeiro contacto que foi em 1992 em Sintra os vi os Rotores pela 1º vez. Esta patrulha era motivo para eu me deslocar para os ver actuar até no estrangeiro... Vigo, Múrcia e esperava vê-los actuar no RIAT que este por pouco, por cá desde Viana do Castelo a Portimão  As comemorações da Esquadra 552 em Beja também eram motivos para uma deslocação onde me lembro da de 2007 onde consegui um registo fotográfico fabuloso pela sua quantidade e qualidade. Vou ilustrar este post com algumas das minhas melhores fotos do Alouette III e só para que fique escrito, foi a bordo de um Alouette III que eu fiz fotografia ar-ar com 24 F-16... um recorde que deverá ficar para sempre!!! Um grande bem haja a todos os militares da Esquadra 552 e também à Força Aérea Portuguesa. Fiquem bem, Jorge Ruivo


domingo, 15 de Dezembro de 2013

Esquadra 502 Elefantes




A Esquadra 502 dos Elefantes foi criada em 1978, actualmente está sediada na Base Aérea do Montijo e opera o C-295 M Persuater, mas as raízes remontam a 1937, com a Esquadra 32, nessa altura operava o Junkers JU-52, em 1971 recebe os Nord Atlas e os C-212 Aviocar chegam em 1974. A missão dos Elefantes prende-se com a execução de operações de transporte Aéreo, busca e salvamento, vigilância marítima, reconhecimento e fotografia aérea bem como a instrução de navegadores. gostaria de salientar aqui o contributo forte dos Elefantes na execução e apoio em missões carácter humanitário. Vou partilhar algumas fotos da Esquadra, durante a visita que a APEA efectuou à Base Aérea do Montijo no passado dia 02 de Dezembro, foi mais um evento onde pudemos estar próximos num dia normal de actividade militar. Durante a visita tivemos um briefing na Esquadra que foi dado pelo seu comandante e foi-nos apresentado um video sobre o que faz a Esquadra 502, muito bom e que deverá estar on-line no curto prazo, seguiram-se as tão esperadas sessões de fotografia ao C-295 durante a manhã. Espero que seja do vosso agrado, fiquem bem, Jorge Ruivo







A Esquadra 502 dos Elefantes foi criada em 1978, actualmente está sediada na Base Aérea do Montijo e opera o C-295 M Persuater, mas as raízes remontam a 1937, com a Esquadra 32, nessa altura operava o Junkers JU-52, em 1971 recebe os Nord Atlas e os C-212 Aviocar chegam em 1974. A missão dos Elefantes prende-se com a execução de operações de transporte Aéreo, busca e salvamento, vigilância marítima, reconhecimento e fotografia aérea bem como a instrução de navegadores. gostaria de salientar aqui o contributo forte dos Elefantes na execução e apoio em missões carácter humanitário. Vou partilhar algumas fotos da Esquadra, durante a visita que a APEA efectuou à Base Aérea do Montijo no passado dia 02 de Dezembro, foi mais um evento onde pudemos estar próximos num dia normal de actividade militar. Durante a visita tivemos um briefing na Esquadra que foi dado pelo seu comandante e foi-nos apresentado um video sobre o que faz a Esquadra 502, muito bom e que deverá estar on-line no curto prazo, seguiram-se as tão esperadas sessões de fotografia ao C-295 durante a manhã. Espero que seja do vosso agrado, fiquem bem, Jorge Ruivo




domingo, 8 de Dezembro de 2013

Visita da APEA à Base Aérea Montijo


No dia 2 realizou-se a habitual visita anual à Base Aérea 6 do Montijo, organizada pela APEA - Associação Portuguesa dos Entusiastas da Aviação. Foi uma forma também de estar com os amigos que sofrem da mesma doença, partilhar uns bons momentos de fotografia e rever amigos militares nas diversas Esquadras que visitámos. O meu grupo saiu bem cedo da Marinha Grande, uma passagem por Leiria para encher o carro e se não fosse o transito "encravado" nas portagens de Alverca, até tínhamos chegado a horas. Marco Casaleiro, Ricardo Abrantes, Gil Cardal e eu fomos mesmo os últimos a chegar, mas pronto, lá se deu inicio à visita e começámos pelos Elefantes, Esquadra 502 onde na placa estavam estacionados dois C-295. Nesta placa de estacionamento foi onde iniciamos os "clicks" das máquinas fotográficas, ou seja, a encher de Giga Bytes os cartões de memória para ficar tudo bem registado.


Uma passagem pela Esquadra onde estivemos na sala de briefing com o seu comandante, TC Bernardino onde nos deu uma breve explicação da nobre missão dos Elefantes e seguimos para a messe onde fomos almoçar. Sim já estava na hora da refeição, isto de levantar cedo tem as suas consequências ao nível do estômago. Trataram-nos bem, mesmo muito bem e a Esquadra que se seguiu foi a 751 dos Pumas. Assistimos a outro briefing onde nos foi dado a conhecer a missão da 751 bem como as características do EH-101 e estivemos a tarde na placa a fotografar a descolagem e aterragem de um EH-101 em missão de treino. Uma vez mais fomos muito bem recebidos no Montijo, deu para trocar umas impressões com a malta e trouxemos para casa mais uns GBs de fotografias para editar. Muito obrigado à Força Aérea Portuguesa por mais esta oportunidade que nos proporcionou estarmos próximo dos militares durante um dia normal de actividade. E por fim espero que o meu amigo Gil que se iniciou nesta visita, seja contaminado por esta doença e nos continue a acompanhar. Fiquem bem, Jorge Ruivo




No dia 2 realizou-se a habitual visita anual à Base Aérea 6 do Montijo, organizada pela APEA - Associação Portuguesa dos Entusiastas da Aviação. Foi uma forma também de estar com os amigos que sofrem da mesma doença, partilhar uns bons momentos de fotografia e rever amigos militares nas diversas Esquadras que visitámos. O meu grupo saiu bem cedo da Marinha Grande, uma passagem por Leiria para encher o carro e se não fosse o transito "encravado" nas portagens de Alverca, até tínhamos chegado a horas. Marco Casaleiro, Ricardo Abrantes, Gil Cardal e eu fomos mesmo os últimos a chegar, mas pronto, lá se deu inicio à visita e começámos pelos Elefantes, Esquadra 502 onde na placa estavam estacionados dois C-295. Nesta placa de estacionamento foi onde iniciamos os "clicks" das máquinas fotográficas, ou seja, a encher de Giga Bytes os cartões de memória para ficar tudo bem registado.


Uma passagem pela Esquadra onde estivemos na sala de briefing com o seu comandante, TC Bernardino onde nos deu uma breve explicação da nobre missão dos Elefantes e seguimos para a messe onde fomos almoçar. Sim já estava na hora da refeição, isto de levantar cedo tem as suas consequências ao nível do estômago. Trataram-nos bem, mesmo muito bem e a Esquadra que se seguiu foi a 751 dos Pumas. Assistimos a outro briefing onde nos foi dado a conhecer a missão da 751 bem como as características do EH-101 e estivemos a tarde na placa a fotografar a descolagem e aterragem de um EH-101 em missão de treino. Uma vez mais fomos muito bem recebidos no Montijo, deu para trocar umas impressões com a malta e trouxemos para casa mais uns GBs de fotografias para editar. Muito obrigado à Força Aérea Portuguesa por mais esta oportunidade que nos proporcionou estarmos próximo dos militares durante um dia normal de actividade. E por fim espero que o meu amigo Gil que se iniciou nesta visita, seja contaminado por esta doença e nos continue a acompanhar. Fiquem bem, Jorge Ruivo



terça-feira, 16 de Julho de 2013

Spotterday - Beja 61º Aniversário FAP



No dia 13 de Julho fui até Beja ao Spotterday organizado pela Força Aérea Portuguesa no âmbito das comemorações do seu 61º aniversário. Uma vez mais fomos muito bem recebidos pelos militares da casa, como é um habito, e tudo fizeram para nos proporcionar um dia espectacular. Aproveitei o facto de ir rever uns amigos e também nem sempre tenho tido oportunidade de fotografar as aeronaves da BA11 em acção. Fica aqui o testemunho fotográfico que valeu bem a pena a viagem e para os que decidiram ficar por casa, perderam uma boa oportunidade de participarem num dia que posso considerar excelente. A Força Aérea tudo fez, através de um dia de actividade normal, para nos facilitar nesta nossa religião, o estar próximo das máquinas voadoras. Fica também a minha opinião sobre a forma de comemorar o aniversário através das Bases abertas em dias diferentes de forma a podermos ter alternativas caso algum impedimento para o único dia, como me aconteceu em anos anteriores.
Saliento a boa presença dos spotters espanhóis como o Juan Carlos,  que eu já não via há uns anitos, a malta do sul como o Luís Rosa e o Fernando Sousa entre outros, o Carlos Felicio, Pedro Figueiredo e rever os amigos Miguel Amaral e o Vegas que era o "air-boss" e a quem dou os parabéns pela excelente organização. Ah!
O Miguel tinha aqui 3 aeronaves com pinturas comemorativas, da sua autoria: o P-3 Cup+ dos 25 anos, o Alphajet com as 50.000 horas e por fim o Alouette III com a pintura dos 50 anos. Dei o dia por bem passado, agradeço à Força Aérea a forma como me recebeu e para os amigos que ficaram em casa, pensem melhor para a próxima vez quando a BA11 organizar um qualquer evento. Por fim uma referencia aos Ten. João Teixeira e Pedro Mangas pela companhia e disponibilidade durante o spotterday. Fiquem bem e até ao próximo evento. Jorge Ruivo








No dia 13 de Julho fui até Beja ao Spotterday organizado pela Força Aérea Portuguesa no âmbito das comemorações do seu 61º aniversário. Uma vez mais fomos muito bem recebidos pelos militares da casa, como é um habito, e tudo fizeram para nos proporcionar um dia espectacular. Aproveitei o facto de ir rever uns amigos e também nem sempre tenho tido oportunidade de fotografar as aeronaves da BA11 em acção. Fica aqui o testemunho fotográfico que valeu bem a pena a viagem e para os que decidiram ficar por casa, perderam uma boa oportunidade de participarem num dia que posso considerar excelente. A Força Aérea tudo fez, através de um dia de actividade normal, para nos facilitar nesta nossa religião, o estar próximo das máquinas voadoras. Fica também a minha opinião sobre a forma de comemorar o aniversário através das Bases abertas em dias diferentes de forma a podermos ter alternativas caso algum impedimento para o único dia, como me aconteceu em anos anteriores.
Saliento a boa presença dos spotters espanhóis como o Juan Carlos,  que eu já não via há uns anitos, a malta do sul como o Luís Rosa e o Fernando Sousa entre outros, o Carlos Felicio, Pedro Figueiredo e rever os amigos Miguel Amaral e o Vegas que era o "air-boss" e a quem dou os parabéns pela excelente organização. Ah!
O Miguel tinha aqui 3 aeronaves com pinturas comemorativas, da sua autoria: o P-3 Cup+ dos 25 anos, o Alphajet com as 50.000 horas e por fim o Alouette III com a pintura dos 50 anos. Dei o dia por bem passado, agradeço à Força Aérea a forma como me recebeu e para os amigos que ficaram em casa, pensem melhor para a próxima vez quando a BA11 organizar um qualquer evento. Por fim uma referencia aos Ten. João Teixeira e Pedro Mangas pela companhia e disponibilidade durante o spotterday. Fiquem bem e até ao próximo evento. Jorge Ruivo