sábado, 31 de janeiro de 2015

RNLAF F-16 Demo Team cancela 2015


A Força Aérea Holandesa cancelou esta semana, a exibição para todo o ano de 2015, do seu F-16 de demonstrações aéreas ( RNLAF F-16 Demo Team ), por motivos operacionais. 
Já o ano passado pelos mesmos motivos e pela necessidade de terem o maximo de F-16 operacionais a equipa de demosntrações deixou de ter o "Orange Lion", ou seja, perderam a pintura especial para passarem a operar um F-16 com esquema de pintura normal da Força Aérea Holandesa.
A frota de F-16 tem um elevado numero de operações militares em curso, como o combate ao Estado Islâmico, com 8 aeronaves destacadas na Jordânia, defesa do espaço aéreo da NATO, nacional e as missões do Báltico e estão também fortemente envolvidos nos treinos da nova aeronave F-35 Lightning II, são motivos para esta decisão.

É uma Esquadra de demonstrações bastante famosa e querida não só pelos holandeses mas também por toda a comunidade de entusiastas da aviação e a sua tradição é enorme em esquadras de exibição aérea sendo que a do F-16 foi criada em 1979. Vamos esperar que seja só este ano de 2015 para que em 2016 o F-16 volte a deliciar todos os entusiastas novamente.
Fiquem bem. Jorge Ruivo
















































A Força Aérea Holandesa cancelou esta semana, a exibição para todo o ano de 2015, do seu F-16 de demonstrações aéreas ( RNLAF F-16 Demo Team ), por motivos operacionais. 
Já o ano passado pelos mesmos motivos e pela necessidade de terem o maximo de F-16 operacionais a equipa de demosntrações deixou de ter o "Orange Lion", ou seja, perderam a pintura especial para passarem a operar um F-16 com esquema de pintura normal da Força Aérea Holandesa.
A frota de F-16 tem um elevado numero de operações militares em curso, como o combate ao Estado Islâmico, com 8 aeronaves destacadas na Jordânia, defesa do espaço aéreo da NATO, nacional e as missões do Báltico e estão também fortemente envolvidos nos treinos da nova aeronave F-35 Lightning II, são motivos para esta decisão.

É uma Esquadra de demonstrações bastante famosa e querida não só pelos holandeses mas também por toda a comunidade de entusiastas da aviação e a sua tradição é enorme em esquadras de exibição aérea sendo que a do F-16 foi criada em 1979. Vamos esperar que seja só este ano de 2015 para que em 2016 o F-16 volte a deliciar todos os entusiastas novamente.
Fiquem bem. Jorge Ruivo















































quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

F-35 Holandeses aterraram em Edwards

Dois F-35 Lightning II da Força Aérea Holandesa aterraram na Base Aérea de Edwards na California no dia 16 de Janeiro, depois de um voo de 5 horas desde Eglin, na Flórida. Os F-35 são operados nos EUA pela Esquadra 323, anteriormente baseada em Leeuwarden na Holanda com um contingente composto por 4 pilotos e 20 técnicos que estão neste momento a adquirir competências e as qualificações para operarem esta novíssima aeronave. Está previsto a Holanda receber os primeiros F-35 em 2019 dos 37 que adquiriu aos Estados Unidos.
Na Base Aérea de  Edwards os holandeses vão continuar a Avaliação e Teste Operacional ( OT & E ) destes caças de quinta geração, vão também validar as capacidades operacionais do sistema de armas e testar a sua versatilidade nos mais diversos tipos de missões e as condições que a Base de Edwards pode oferecer são o local ideal pela sua vasta area de deserto.
A Esquadra 323 foi criada em 1948 iniciando a sua operacionalidade com os Gloster Meteor, em 1957 foram substituídos pelo Hawker Hunter, recebeu os F-104 Starfighter em 1964 e só em 1981 foram substituídos pelos F-16A/B, modernizados em 1999 para F-16AM/BM. 
As fotos foram-me gentilmente disponibilizadas pelo meu amigo Frank Crébas, de que eu gostarias de aqui publicamente agradecer.
Possivelmente em 2016 poderá existir a possibilidade de estarem presentes no festival aéreo da Força Aérea Holandesa, vamos torcer para isso.
Fiquem bem. Jorge Ruivo




















































Dois F-35 Lightning II da Força Aérea Holandesa aterraram na Base Aérea de Edwards na California no dia 16 de Janeiro, depois de um voo de 5 horas desde Eglin, na Flórida. Os F-35 são operados nos EUA pela Esquadra 323, anteriormente baseada em Leeuwarden na Holanda com um contingente composto por 4 pilotos e 20 técnicos que estão neste momento a adquirir competências e as qualificações para operarem esta novíssima aeronave. Está previsto a Holanda receber os primeiros F-35 em 2019 dos 37 que adquiriu aos Estados Unidos.
Na Base Aérea de  Edwards os holandeses vão continuar a Avaliação e Teste Operacional ( OT & E ) destes caças de quinta geração, vão também validar as capacidades operacionais do sistema de armas e testar a sua versatilidade nos mais diversos tipos de missões e as condições que a Base de Edwards pode oferecer são o local ideal pela sua vasta area de deserto.
A Esquadra 323 foi criada em 1948 iniciando a sua operacionalidade com os Gloster Meteor, em 1957 foram substituídos pelo Hawker Hunter, recebeu os F-104 Starfighter em 1964 e só em 1981 foram substituídos pelos F-16A/B, modernizados em 1999 para F-16AM/BM. 
As fotos foram-me gentilmente disponibilizadas pelo meu amigo Frank Crébas, de que eu gostarias de aqui publicamente agradecer.
Possivelmente em 2016 poderá existir a possibilidade de estarem presentes no festival aéreo da Força Aérea Holandesa, vamos torcer para isso.
Fiquem bem. Jorge Ruivo




















































segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Caça F-16 despenha-se em Albacete, Espanha

Hoje pelas 15:30 um caça grego F-16D Bloco50 da Força Aérea Grega, sofreu um acidente ao descolar da pista da Base Aérea de Albacete causando a morte dos seus 2 pilotos.
A aeronave estava a participar no exercício militar TLP ( Tactical Leadership Programme ) da NATO, integrava o contingente militar grego que se fazia representar com mais 3 F-16C e pertenciam à esquadra 341.

De acordo com testemunhas oculares, o F-16D no momento da descolagem pareceu perder potencia, manobrou para o lado direito e foi embater noutras aeronaves que estavam estacionadas na placa originando um incêndio de grandes proporções e causando a morte de mais 8 militares e ferimentos em mais 13 pessoas.
É sempre lamentável quando nos chegam estas trágicas noticias
Foto: Associated Press; Maquete: Nacho Catalan/El País
Jorge Ruivo





























Hoje pelas 15:30 um caça grego F-16D Bloco50 da Força Aérea Grega, sofreu um acidente ao descolar da pista da Base Aérea de Albacete causando a morte dos seus 2 pilotos.
A aeronave estava a participar no exercício militar TLP ( Tactical Leadership Programme ) da NATO, integrava o contingente militar grego que se fazia representar com mais 3 F-16C e pertenciam à esquadra 341.

De acordo com testemunhas oculares, o F-16D no momento da descolagem pareceu perder potencia, manobrou para o lado direito e foi embater noutras aeronaves que estavam estacionadas na placa originando um incêndio de grandes proporções e causando a morte de mais 8 militares e ferimentos em mais 13 pessoas.
É sempre lamentável quando nos chegam estas trágicas noticias
Foto: Associated Press; Maquete: Nacho Catalan/El País
Jorge Ruivo





























domingo, 25 de janeiro de 2015

Força Aérea Portuguesa - Missões de carácter Humanitário.

Ainda o ano 2015 vai no seu inicio e já a Força Aérea Portuguesa tem muito que contar sobre as suas missões de carácter humanitário. É por isso importante na minha opinião referir o numero de missões que a Força Aérea Portuguesa tem vindo a realizar no âmbito de outras missões de interesse público, como as evacuações médicas, busca e salvamento, entre outras.
O ano acabou praticamente com o regresso do Mali da missão humanitária no âmbito das Nações Unidas que foi composta também por um C-130 da Esquadra 501 Bisontes e no ano 2014 a Força Aérea realizou 379 missões e transportou 447 doentes urgentes.
As primeiras missões do ano 2015 foram realizadas pelo destacamento da Esquadra 502 na Madeira e a FAP referiu:" Os militares entraram em 2015 durante o cumprimento da missão e com o sentimento do dever cumprido. A missão foi realizada com sucesso". Estamos a falar do dia 1 de Janeiro. Nesse mesmo dia o destacamento da Esquadra 751 dos Açores também entrou em acção no Faial.
No continente são accionados meios aéreos da FAP pertencentes à Esquadra 502 e Esquadra 751 que participaram no resgate de 2 passageiros do navio Boudicca que se encontrava a navegar a 440 km a sudoeste de Lisboa, foram resgatados, transportados para o Aeroporto da Portela e posteriormente encaminhados para o Hospital de Santa Maria.
No dia 10 de Janeiro os Lobos da Esquadra 601 são chamados a intervir em Cabo Verde na procura de sobreviventes do navio naufragado ao largo da Ilha do Fogo. Uma aeronave P-3C CUP+ participou nas operações de busca e salvamento na sequência do naufrágio do navio Vicente que transportava 26 pessoas a bordo. 
No dia 12 de Janeiro, uma Força Nacional constituída por 47 militares, partiram para o Mali passando a integrar a missão MINUSMA ( United Nations Multidimensional Integrated Stabilitazion Mission in Mali ). A Força Nacional partiu do Montijo com um contingente de 41 militares da Força Aérea, 6 do Exercito, um C-295M das Esquadra 502 e vão estar no Mali por 4 meses sob a égide das nações Unidas. 
No dia 13, os Lobos da Esquadra 601 voltam a partir para cabo Verde com o objectivo de participarem na operação Junction Rain 15 - African Maritime Law Enforcement Partnership (AMLEP) 2015. Nesta operação, Portugal vai operar em parceria com as nações de Cabo Verde, Estados Unidos da América, Senegal e Gana contra actividades de pesca ilícita, trafico e pirataria.
No dia seguinte, os Lobos foram de novo chamados a participar numa nova operação de busca e salvamento em Cabo Verde, para localizar uma embarcação com 2 pescadores que tinha saído no dia anterior da Praia de Santa Maria, Ilha do Sal, que terá ficado á deriva por causa da agitação marítima e pouca visibilidade.
No mesmo dia 14 uma aeronave da Esquadra 751 Pumas é activado para participar nas operações de buscas pelos pescadores do "Santa Maria dos Anjos" que terá afundado nas proximidades da Praia das Maças, Sintra. A bordo seguiam 6 tripulantes e o alerta foi dado por um dos sobreviventes que conseguiu chegar a terra.
No dia 17 os Linces da Esquadra 504 são activados para uma evacuação médica urgente de longa distância que consistiu no transporte urgente de um doente.
No dia 20 os Zangões da Esquadra 552 são activados e um helicóptero Alouette III foi empenhado nas buscas pelos pescadores desaparecidos na Praia da Maçãs, Sintra.
A Força Aérea tem homens e mulheres, que quer esteja bom ou mau tempo, a qualquer hora do dia, executam diariamente e com elevado profissionalismo a missão que lhes está confiada. Provavelmente à hora que estou a elaborar este texto ou mesmo á hora que estiver a ser lido já estará desactualizado em novas missões que podem ser activadas a qualquer momento. 
Um Bem Haja a todos estes militares que "sobre a terra ou sobre o mar" estão empenhados "para que outros vivam".
Fonte: Força Aérea Portuguesa
Fotos: Força Aérea Portuguesa
Fiquem bem. Jorge Ruivo


























Ainda o ano 2015 vai no seu inicio e já a Força Aérea Portuguesa tem muito que contar sobre as suas missões de carácter humanitário. É por isso importante na minha opinião referir o numero de missões que a Força Aérea Portuguesa tem vindo a realizar no âmbito de outras missões de interesse público, como as evacuações médicas, busca e salvamento, entre outras.
O ano acabou praticamente com o regresso do Mali da missão humanitária no âmbito das Nações Unidas que foi composta também por um C-130 da Esquadra 501 Bisontes e no ano 2014 a Força Aérea realizou 379 missões e transportou 447 doentes urgentes.
As primeiras missões do ano 2015 foram realizadas pelo destacamento da Esquadra 502 na Madeira e a FAP referiu:" Os militares entraram em 2015 durante o cumprimento da missão e com o sentimento do dever cumprido. A missão foi realizada com sucesso". Estamos a falar do dia 1 de Janeiro. Nesse mesmo dia o destacamento da Esquadra 751 dos Açores também entrou em acção no Faial.
No continente são accionados meios aéreos da FAP pertencentes à Esquadra 502 e Esquadra 751 que participaram no resgate de 2 passageiros do navio Boudicca que se encontrava a navegar a 440 km a sudoeste de Lisboa, foram resgatados, transportados para o Aeroporto da Portela e posteriormente encaminhados para o Hospital de Santa Maria.
No dia 10 de Janeiro os Lobos da Esquadra 601 são chamados a intervir em Cabo Verde na procura de sobreviventes do navio naufragado ao largo da Ilha do Fogo. Uma aeronave P-3C CUP+ participou nas operações de busca e salvamento na sequência do naufrágio do navio Vicente que transportava 26 pessoas a bordo. 
No dia 12 de Janeiro, uma Força Nacional constituída por 47 militares, partiram para o Mali passando a integrar a missão MINUSMA ( United Nations Multidimensional Integrated Stabilitazion Mission in Mali ). A Força Nacional partiu do Montijo com um contingente de 41 militares da Força Aérea, 6 do Exercito, um C-295M das Esquadra 502 e vão estar no Mali por 4 meses sob a égide das nações Unidas. 
No dia 13, os Lobos da Esquadra 601 voltam a partir para cabo Verde com o objectivo de participarem na operação Junction Rain 15 - African Maritime Law Enforcement Partnership (AMLEP) 2015. Nesta operação, Portugal vai operar em parceria com as nações de Cabo Verde, Estados Unidos da América, Senegal e Gana contra actividades de pesca ilícita, trafico e pirataria.
No dia seguinte, os Lobos foram de novo chamados a participar numa nova operação de busca e salvamento em Cabo Verde, para localizar uma embarcação com 2 pescadores que tinha saído no dia anterior da Praia de Santa Maria, Ilha do Sal, que terá ficado á deriva por causa da agitação marítima e pouca visibilidade.
No mesmo dia 14 uma aeronave da Esquadra 751 Pumas é activado para participar nas operações de buscas pelos pescadores do "Santa Maria dos Anjos" que terá afundado nas proximidades da Praia das Maças, Sintra. A bordo seguiam 6 tripulantes e o alerta foi dado por um dos sobreviventes que conseguiu chegar a terra.
No dia 17 os Linces da Esquadra 504 são activados para uma evacuação médica urgente de longa distância que consistiu no transporte urgente de um doente.
No dia 20 os Zangões da Esquadra 552 são activados e um helicóptero Alouette III foi empenhado nas buscas pelos pescadores desaparecidos na Praia da Maçãs, Sintra.
A Força Aérea tem homens e mulheres, que quer esteja bom ou mau tempo, a qualquer hora do dia, executam diariamente e com elevado profissionalismo a missão que lhes está confiada. Provavelmente à hora que estou a elaborar este texto ou mesmo á hora que estiver a ser lido já estará desactualizado em novas missões que podem ser activadas a qualquer momento. 
Um Bem Haja a todos estes militares que "sobre a terra ou sobre o mar" estão empenhados "para que outros vivam".
Fonte: Força Aérea Portuguesa
Fotos: Força Aérea Portuguesa
Fiquem bem. Jorge Ruivo


























sábado, 24 de janeiro de 2015

P-3 Orion da Esquadra 601 Lobos foi interceptado por SU-27 Flanker no Báltico





Foi durante o destacamento que a Esquadra 601 Lobos da Força Aérea Portuguesa efectuou na Lituânia que durante uma das suas missões, o P-3 Orion foi interceptado por um caça da Força Aérea Russa Sukhoi 27 Flanker.


As imagens são espectaculares como podem testemunhar por este video que está no You Tube e ao longo deste tempo sempre se questionaram as entidades oficiais como é que eram esses encontros, ora aqui está uma desses no Mar Báltico.

Ao longo destes últimos meses diversos aviões da Força Aérea Russa ao contornarem os espaços aéreos estrangeiros, foram interceptados pelos aviões da NATO e isso ocorreu com frequência durante os seus destacamentos NATO Baltic Air Policing. E com este video fica bem demonstrado que a Rússia também está atenta aos aviões de vigilância da NATO.

A Esquadra 601 Lobos, está baseada em Beja, Portugal e opera o Lockheed P-3C Cup+ Orion.
Fiquem bem. Jorge Ruivo


































Foi durante o destacamento que a Esquadra 601 Lobos da Força Aérea Portuguesa efectuou na Lituânia que durante uma das suas missões, o P-3 Orion foi interceptado por um caça da Força Aérea Russa Sukhoi 27 Flanker.


As imagens são espectaculares como podem testemunhar por este video que está no You Tube e ao longo deste tempo sempre se questionaram as entidades oficiais como é que eram esses encontros, ora aqui está uma desses no Mar Báltico.

Ao longo destes últimos meses diversos aviões da Força Aérea Russa ao contornarem os espaços aéreos estrangeiros, foram interceptados pelos aviões da NATO e isso ocorreu com frequência durante os seus destacamentos NATO Baltic Air Policing. E com este video fica bem demonstrado que a Rússia também está atenta aos aviões de vigilância da NATO.

A Esquadra 601 Lobos, está baseada em Beja, Portugal e opera o Lockheed P-3C Cup+ Orion.
Fiquem bem. Jorge Ruivo






























sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Esquadra 502 Elefantes - 60 anos

A Esquadra 502 dos Elefantes foi criada em 1978, actualmente está sediada na Base Aérea do Montijo e opera o C-295 M Persuater, mas as raízes remontam a 1937, com a Esquadra 32, nessa altura operava o Junkers JU-52. Mas foi em Janeiro de 1955 na Base Aérea de Tancos que ao ser criada a Esquadrilha de Ligação e Treino (ELT) com os Piper Cub L-21 e Oxfords é reconhecido oficialmente  a origem dos Elefantes. 
Uns anos mais tarde, no ano de 1971 recebe os Nord Atlas e os C-212 Aviocar chegam no ano de 1974. Em 2007 a Força Aérea Portuguesa adquire 12 aeronaves EADS C-295 M para substituirem o C-212 Aviocar. Sete destas aeronaves estão configuradas para transporte aéreo tactico e as restantes cinco para vigilância marítima. 

A missão dos Elefantes prende-se com a execução de operações de transporte Aéreo, busca e salvamento, vigilância marítima, reconhecimento e fotografia aérea bem como a instrução de navegadores. gostaria de salientar aqui o contributo forte dos Elefantes na execução e apoio em missões carácter humanitário.
Ao longos dos tempos tive a oportunidade de fotografar os Elefantes em diversas ocasiões, desde spotterdays, exercícios militares, festivais aéreos nacionais e internacionais e nesta data festiva gostaria de partilhar algumas, hoje os actuais e antigos Elefantes estão de parabéns, é uma esquadra através da qual a Força Aérea Portuguesa executa muitas missões de carácter humanitário, sem esquecer os que hoje mesmo estão destacados na prevenção e salvamento de vidas humanas.
Elefantes, parabéns.

E para terminar aqui fica o logotipo dos Elefantes comemorativo dos 60 anos, da autoria do meu amigo Miguel Amaral, uma obra de arte como nos tem habituado. Fiquem bem. Jorge Ruivo













































A Esquadra 502 dos Elefantes foi criada em 1978, actualmente está sediada na Base Aérea do Montijo e opera o C-295 M Persuater, mas as raízes remontam a 1937, com a Esquadra 32, nessa altura operava o Junkers JU-52. Mas foi em Janeiro de 1955 na Base Aérea de Tancos que ao ser criada a Esquadrilha de Ligação e Treino (ELT) com os Piper Cub L-21 e Oxfords é reconhecido oficialmente  a origem dos Elefantes. 
Uns anos mais tarde, no ano de 1971 recebe os Nord Atlas e os C-212 Aviocar chegam no ano de 1974. Em 2007 a Força Aérea Portuguesa adquire 12 aeronaves EADS C-295 M para substituirem o C-212 Aviocar. Sete destas aeronaves estão configuradas para transporte aéreo tactico e as restantes cinco para vigilância marítima. 

A missão dos Elefantes prende-se com a execução de operações de transporte Aéreo, busca e salvamento, vigilância marítima, reconhecimento e fotografia aérea bem como a instrução de navegadores. gostaria de salientar aqui o contributo forte dos Elefantes na execução e apoio em missões carácter humanitário.
Ao longos dos tempos tive a oportunidade de fotografar os Elefantes em diversas ocasiões, desde spotterdays, exercícios militares, festivais aéreos nacionais e internacionais e nesta data festiva gostaria de partilhar algumas, hoje os actuais e antigos Elefantes estão de parabéns, é uma esquadra através da qual a Força Aérea Portuguesa executa muitas missões de carácter humanitário, sem esquecer os que hoje mesmo estão destacados na prevenção e salvamento de vidas humanas.
Elefantes, parabéns.

E para terminar aqui fica o logotipo dos Elefantes comemorativo dos 60 anos, da autoria do meu amigo Miguel Amaral, uma obra de arte como nos tem habituado. Fiquem bem. Jorge Ruivo













































quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Caças Eurofighter espanhois executam primeira missão real no Baltico

Os caças C-16 Typhoon da Ala 11 que estão estacionados em Amari executaram a sua primeira missão real no Mar Báltico, desde que estão em Amari, ao interceptarem um avião russo . Aconteceu no passado dia 19 de Janeiro quando os dois caças foram activados quando pelas 17:00 a sirene que activa a equipa que estava de QRA ( Quick Reaction Alert ), estado de prevenção 24 horas diariamente.
Ambos os pilotos e restante equipa reagiram prontamente de acordo com o que está estabelecido, A ordem veio CAOC-U que é o centro de operações que monitoriza o espaço aéreo da responsabilidade da NATO na Europa Central e do Norte, após detectarem uma aeronave, sem plano de vôo e sem contactos. 

Os Eurofighter espanhois realizaram a intercepção, identificação e verificaram ser um avião da Força Aérea da Russia que voava sobre as aguas internacionais. Depois de acompanhar a aeronave para o limite de responsabilidade, os C-16 Typhoon regressaram a Amari após realizarem a primeira missão real nos céus do Báltico.
Fotos: Força Aérea Espanhola
Fonte: EMAD
Fiquem bem. Jorge Ruivo









































Os caças C-16 Typhoon da Ala 11 que estão estacionados em Amari executaram a sua primeira missão real no Mar Báltico, desde que estão em Amari, ao interceptarem um avião russo . Aconteceu no passado dia 19 de Janeiro quando os dois caças foram activados quando pelas 17:00 a sirene que activa a equipa que estava de QRA ( Quick Reaction Alert ), estado de prevenção 24 horas diariamente.
Ambos os pilotos e restante equipa reagiram prontamente de acordo com o que está estabelecido, A ordem veio CAOC-U que é o centro de operações que monitoriza o espaço aéreo da responsabilidade da NATO na Europa Central e do Norte, após detectarem uma aeronave, sem plano de vôo e sem contactos. 

Os Eurofighter espanhois realizaram a intercepção, identificação e verificaram ser um avião da Força Aérea da Russia que voava sobre as aguas internacionais. Depois de acompanhar a aeronave para o limite de responsabilidade, os C-16 Typhoon regressaram a Amari após realizarem a primeira missão real nos céus do Báltico.
Fotos: Força Aérea Espanhola
Fonte: EMAD
Fiquem bem. Jorge Ruivo