segunda-feira, 11 de abril de 2016

Caças Indianos na Base Aérea de Beja



De passagem por Portugal e com destino ao Alasca, oito caças Indianos e acompanhados por 2 reabastecedores aéreos Ilyushin Il-78 e dois aviões de transporte C-17 Globemaster, aterraram na passada quinta feira na Base Aérea de Beja.


Os 4 Sukhoi-30 e os 4 Jaguares vão participar no Red Flag que se irá realizar no Alaska de 28 de Abril até 13 de maio nas Base Aéreas de Eiélson e de Elmendorf .


No âmbito da cooperação militar entre a Índia e os Estados Unidos de forma mais intensa, a Índia está a enviar um contingente de 150 militares e cerca de 12 aeronaves a um dos mais prestigiados exercício militares que é o Red Flag pela segunda vez. A última vez que a Índia esteve presente neste evento foi no ano de 2008 apenas com aviões Sukhoi-30 MKI. na Base Aérea de Nellis.


O exercício vai contar com aeronaves dos Estados Unidos e de outros países da NATO e será mais uma oportunidade para a Força Aérea Indiana treinar em ambientes complexos jogos de guerra a operar em operações especiais. Aeronaves como o F-22 Raptor e outros caças vão estar envolvidos pelo será uma boa experiência para os Jaguar e Sukhoi 30 indianos.


Dada a grande distancia as aeronaves indianas vão efectuar paragem no Bahrain, Egipto, França, Portugal, Canadá para então chegarem ao Alaska para o Red Flag.
Já em 2004 Portugal, recebeu um contigente militar Indiano de passagem para o Alaska para o exercicio na mesma base aérea Cope-Thunder.


O CannonTwo agradece ao Rafael Vieira a sua disponibilidade para partilhar aqui as suas fotos da chegada das aeronaves Indianas à Base Aérea 11 de Beja e partilhamos o link da galeria no Flickr com Fotos Rafael Vieira:






























































De passagem por Portugal e com destino ao Alasca, oito caças Indianos e acompanhados por 2 reabastecedores aéreos Ilyushin Il-78 e dois aviões de transporte C-17 Globemaster, aterraram na passada quinta feira na Base Aérea de Beja.


Os 4 Sukhoi-30 e os 4 Jaguares vão participar no Red Flag que se irá realizar no Alaska de 28 de Abril até 13 de maio nas Base Aéreas de Eiélson e de Elmendorf .


No âmbito da cooperação militar entre a Índia e os Estados Unidos de forma mais intensa, a Índia está a enviar um contingente de 150 militares e cerca de 12 aeronaves a um dos mais prestigiados exercício militares que é o Red Flag pela segunda vez. A última vez que a Índia esteve presente neste evento foi no ano de 2008 apenas com aviões Sukhoi-30 MKI. na Base Aérea de Nellis.


O exercício vai contar com aeronaves dos Estados Unidos e de outros países da NATO e será mais uma oportunidade para a Força Aérea Indiana treinar em ambientes complexos jogos de guerra a operar em operações especiais. Aeronaves como o F-22 Raptor e outros caças vão estar envolvidos pelo será uma boa experiência para os Jaguar e Sukhoi 30 indianos.


Dada a grande distancia as aeronaves indianas vão efectuar paragem no Bahrain, Egipto, França, Portugal, Canadá para então chegarem ao Alaska para o Red Flag.
Já em 2004 Portugal, recebeu um contigente militar Indiano de passagem para o Alaska para o exercicio na mesma base aérea Cope-Thunder.


O CannonTwo agradece ao Rafael Vieira a sua disponibilidade para partilhar aqui as suas fotos da chegada das aeronaves Indianas à Base Aérea 11 de Beja e partilhamos o link da galeria no Flickr com Fotos Rafael Vieira:




























































sexta-feira, 8 de abril de 2016

Esquema de pintura dos F-16 da Roménia


Esta a aproximar-se a passos largos a data da entrega dos primeiros F-16 da Força Aérea da Roménia que estão a ser transformado e preparados pela Força Aérea Portuguesa. Depois do excelente trabalho efectuado pelos militares do DOCA 4, segue-se todo um trabalho de preparação dos 12 caças que serão entregues à Força Aérea da Roménia.


Partilho as fotos da autoria do Marco Casaleiro, do 15123, numa das suas chegadas à Base Aérea de Monte Real onde já se pode observar o novo esquema de pintura para a Força Aérea da Roménia. O meu agradecimento especial ao autor. Fiquem bem. Jorge Ruivo






























Esta a aproximar-se a passos largos a data da entrega dos primeiros F-16 da Força Aérea da Roménia que estão a ser transformado e preparados pela Força Aérea Portuguesa. Depois do excelente trabalho efectuado pelos militares do DOCA 4, segue-se todo um trabalho de preparação dos 12 caças que serão entregues à Força Aérea da Roménia.


Partilho as fotos da autoria do Marco Casaleiro, do 15123, numa das suas chegadas à Base Aérea de Monte Real onde já se pode observar o novo esquema de pintura para a Força Aérea da Roménia. O meu agradecimento especial ao autor. Fiquem bem. Jorge Ruivo





























domingo, 13 de março de 2016

Blue Angels 70 anos de exibições aéreas

Os Blue Angels comemoram este fim de semana o inicio da 70ª época de exibições aéreas com habitual festival aéreo em NAF El Centro, CA.

E é importante referir aqui as palavras dos Blue Angels na vespera do inicio de mais uma tempotada:
"After countless hours of hard work and dedication, the team is ready to kick off the season.
The team stands at the ready with only one more day until our 70th anniversary year begins!
We can't wait to see you all on the flight line tomorrow!"

Fica aqui a lista de aeronaves dos Blue Angela:
- Grumman F6F-5 Hellcat ----  Junho a Agosto de 1946
- Grumman F8F-1 Bearcat ---- Agosto 1946 a 1949
- Grumman F9F-2 Panther --- 1949 a Junho 1951
- Grumman F9F-5 Panther --- 1951 a 1955
- Grumman F9F-8 Cougar ---  1955 a 1957
- Grumman F-11F-1 Tiger --- 1957 a 1969  ( Primeiro jacto supersónico )
- McDonnell Douglas F-4J Phantom II --- 1969 a 1974
- McDonnell Douglas A-4F Skyhawk --- 1974 a 1986.
- McDonnell Douglas F/A-18 --- Novembro 1986 até aos dias de hoje.
Créditos nas fotos. 




































Os Blue Angels comemoram este fim de semana o inicio da 70ª época de exibições aéreas com habitual festival aéreo em NAF El Centro, CA.

E é importante referir aqui as palavras dos Blue Angels na vespera do inicio de mais uma tempotada:
"After countless hours of hard work and dedication, the team is ready to kick off the season.
The team stands at the ready with only one more day until our 70th anniversary year begins!
We can't wait to see you all on the flight line tomorrow!"

Fica aqui a lista de aeronaves dos Blue Angela:
- Grumman F6F-5 Hellcat ----  Junho a Agosto de 1946
- Grumman F8F-1 Bearcat ---- Agosto 1946 a 1949
- Grumman F9F-2 Panther --- 1949 a Junho 1951
- Grumman F9F-5 Panther --- 1951 a 1955
- Grumman F9F-8 Cougar ---  1955 a 1957
- Grumman F-11F-1 Tiger --- 1957 a 1969  ( Primeiro jacto supersónico )
- McDonnell Douglas F-4J Phantom II --- 1969 a 1974
- McDonnell Douglas A-4F Skyhawk --- 1974 a 1986.
- McDonnell Douglas F/A-18 --- Novembro 1986 até aos dias de hoje.
Créditos nas fotos. 




































sábado, 5 de março de 2016

Supermarine Spitfire - 80 anos a voar


Hoje celebra-se o octogésimo aniversário do 1º voo de Supermarine Spitfire que foi para o ar neste dia com o Capitão José "Mutt"Summers e cuja aeronave voou durante 8 minutos.


Spitfire. Projectado em 1936 por Reginald Mitchel, o mesmo que criou na década de 20 o Supermarine S6, entrou ao serviço em Agosto de 1938 na versão MK I. O seu nome do inglês Spit (cuspir) e fire (fogo), poderá ser traduzido como "cuspidor de fogo" e designa uma pessoa de temperamento explosivo.


O primeiro voo foi efectuado em 5 de Março de 1936, com 9,12m de comprimento e uma envergadura de 11,22 m o Spitfire atingia a velocidade máxima de 582 km/h, propulsionado pelo Rolls Royce Merlin de 12 cilindros em V. Foram construídos ao todo cerca de 20.351 unidades em mais de quarenta versões e para além da Royal Air Force, o Spitfire também foi utilizado como avião de caça pela França, África do Sul, Bélgica, Canadá e Portugal.
Parabéns Spitfire.



































Hoje celebra-se o octogésimo aniversário do 1º voo de Supermarine Spitfire que foi para o ar neste dia com o Capitão José "Mutt"Summers e cuja aeronave voou durante 8 minutos.


Spitfire. Projectado em 1936 por Reginald Mitchel, o mesmo que criou na década de 20 o Supermarine S6, entrou ao serviço em Agosto de 1938 na versão MK I. O seu nome do inglês Spit (cuspir) e fire (fogo), poderá ser traduzido como "cuspidor de fogo" e designa uma pessoa de temperamento explosivo.


O primeiro voo foi efectuado em 5 de Março de 1936, com 9,12m de comprimento e uma envergadura de 11,22 m o Spitfire atingia a velocidade máxima de 582 km/h, propulsionado pelo Rolls Royce Merlin de 12 cilindros em V. Foram construídos ao todo cerca de 20.351 unidades em mais de quarenta versões e para além da Royal Air Force, o Spitfire também foi utilizado como avião de caça pela França, África do Sul, Bélgica, Canadá e Portugal.
Parabéns Spitfire.


































domingo, 28 de fevereiro de 2016

Tornado com pintura original da Guerra do Golfo


Um Panavia Tornado GR4 da Royal Air Force foi pintado com o esquema de cor original que foi utilizado durante a Guerra do Golfo ocorrida em 1991. O esquema de pintura ficou conhecido como o Desert Pink e este facto serve também para relembrar os 25 anos de operações de combate permanentes do Tornado.


Neste domingo foi inaugurado um monumento em homenagem às Forças Britânicas no National Memorial Arboretum com a passagem deste Tornado ZG750 que pertence à Esquadra XV está baseado em Lossiemouth para comemorar o evento.


O meu agradecimento especial ao autor das fotos Tom Sunley pela sua disponibilidade e autorização para partilhar as suas fotos captadas hoje. Muito obrigado Tom. Espero agora conseguir apanhar esta pintura com a minha canon, no RIAT por exemplo. Fiquem bem, Jorge Ruivo































Um Panavia Tornado GR4 da Royal Air Force foi pintado com o esquema de cor original que foi utilizado durante a Guerra do Golfo ocorrida em 1991. O esquema de pintura ficou conhecido como o Desert Pink e este facto serve também para relembrar os 25 anos de operações de combate permanentes do Tornado.


Neste domingo foi inaugurado um monumento em homenagem às Forças Britânicas no National Memorial Arboretum com a passagem deste Tornado ZG750 que pertence à Esquadra XV está baseado em Lossiemouth para comemorar o evento.


O meu agradecimento especial ao autor das fotos Tom Sunley pela sua disponibilidade e autorização para partilhar as suas fotos captadas hoje. Muito obrigado Tom. Espero agora conseguir apanhar esta pintura com a minha canon, no RIAT por exemplo. Fiquem bem, Jorge Ruivo






























Esquadra 103 Caracóis - 63º aniversário


Os Caracóis estão de parabéns porque comemoram hoje 63 anos de existência. Historicamente remonta ao ano de 1953 com a entrada ao serviço do T-33A Shooting Star a operar a partir da Base Aérea da Ota que servia para treinar pilotos para o F-84G. Em 1957 com a passagem para a Base Aérea da Tancos passou a designar-se como Esquadra de Instrução Complementar de Pilotagem em Aviões de Combate (EICPAC), mantendo-se ainda nos dias de hoje.


Em 1974 a Esquadra é transferida para a Base Aérea de Monte Real, é designada por Esquadra 103 e em 1980 recebe os elegantes T-38 Talon que operam em Monte Real até serem transferidos em 1987 para a Base Aérea de Beja. O T-33 começou progressivamente a ser desactivado em 1988 e o T-38 terminou definitivamente a sua missão em 1993, ano em que a Esquadra 103 recebeu os Alphajet, de origem alemã, que opera ainda nos dias de hoje.


Tive a oportunidade de fotografar todas estas aeronaves da Esquadra 103 quando iniciei este meu hobby em 1978, aqui por Monte Real, iniciado que foi ainda na era da fotografia a preto e branco.


Gostaria de referir também os anos em que a Esquadra 103 foi responsável por voltar aos céus a patrulha acrobática Asas de Portugal. Deixo aqui o meu contributo para este importante dia e endereçar os parabéns a todos os actuais e antigos Caracóis.Fiquem bem. Jorge Ruivo





































Os Caracóis estão de parabéns porque comemoram hoje 63 anos de existência. Historicamente remonta ao ano de 1953 com a entrada ao serviço do T-33A Shooting Star a operar a partir da Base Aérea da Ota que servia para treinar pilotos para o F-84G. Em 1957 com a passagem para a Base Aérea da Tancos passou a designar-se como Esquadra de Instrução Complementar de Pilotagem em Aviões de Combate (EICPAC), mantendo-se ainda nos dias de hoje.


Em 1974 a Esquadra é transferida para a Base Aérea de Monte Real, é designada por Esquadra 103 e em 1980 recebe os elegantes T-38 Talon que operam em Monte Real até serem transferidos em 1987 para a Base Aérea de Beja. O T-33 começou progressivamente a ser desactivado em 1988 e o T-38 terminou definitivamente a sua missão em 1993, ano em que a Esquadra 103 recebeu os Alphajet, de origem alemã, que opera ainda nos dias de hoje.


Tive a oportunidade de fotografar todas estas aeronaves da Esquadra 103 quando iniciei este meu hobby em 1978, aqui por Monte Real, iniciado que foi ainda na era da fotografia a preto e branco.


Gostaria de referir também os anos em que a Esquadra 103 foi responsável por voltar aos céus a patrulha acrobática Asas de Portugal. Deixo aqui o meu contributo para este importante dia e endereçar os parabéns a todos os actuais e antigos Caracóis.Fiquem bem. Jorge Ruivo




































sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Exercício Resilient Resolve 2016


A partir de Março de 2016, um destacamento com 100 militares da Royal Canadian Airforce (RCAF) e 4 caças CF-188 Hornet vão deslocar-se para a Roménia com o objectivo de efectuarem treinos conjuntos, durante um mês.


O exercicio Resilient Resolve vem fortalecer as relações entre as forças aéreas da Roménia e do Canadá e tem como objectivo melhorar a integração, a interoperabilidade e uso de procedimentos comuns da NATO.


O contingente militar é constituído por militares do 425 TFS ( Tactical Fighter Squadron ) da Base Aérea de Bagotville, a mesma esquadra que em 2014 este destacada em Campia Turzii também na Romenia durante a Operação Reassurance.


Esta Task Force é uma força integrada com todas as operações necessárias e missões de apoio que proporcionam uma rápida deslocação para um teatro operacional em qualquer parte do globo. O CF-188 Hornet é um caça multi-funcional, da linha da frente do Canadá com capacidades de realizar missões de defesa e superioridade aérea , bem como missões de apoio táctico.
Fonte: Royal Canadian AF














































A partir de Março de 2016, um destacamento com 100 militares da Royal Canadian Airforce (RCAF) e 4 caças CF-188 Hornet vão deslocar-se para a Roménia com o objectivo de efectuarem treinos conjuntos, durante um mês.


O exercicio Resilient Resolve vem fortalecer as relações entre as forças aéreas da Roménia e do Canadá e tem como objectivo melhorar a integração, a interoperabilidade e uso de procedimentos comuns da NATO.


O contingente militar é constituído por militares do 425 TFS ( Tactical Fighter Squadron ) da Base Aérea de Bagotville, a mesma esquadra que em 2014 este destacada em Campia Turzii também na Romenia durante a Operação Reassurance.


Esta Task Force é uma força integrada com todas as operações necessárias e missões de apoio que proporcionam uma rápida deslocação para um teatro operacional em qualquer parte do globo. O CF-188 Hornet é um caça multi-funcional, da linha da frente do Canadá com capacidades de realizar missões de defesa e superioridade aérea , bem como missões de apoio táctico.
Fonte: Royal Canadian AF