sábado, 10 de dezembro de 2016

F-35 Lightning II - Primeiro voo de teste foi à 10 anos


F-35 A Lightning II ou F-35 Joint Strike Fighter  é um programa que visa a produção de três aeronaves de caça multifunção, supersónicas e stealth, desenvolvidas para satisfazer as necessidades de uma transformação na nova geração de armamento.


O F-35 foi concebido como projeto de três caças de 5ª geração, CTOL F-35A JSF, STOVL F-35B JSF, CV F-35C JSF, de relativo baixo custo, para a Marinha, Força Aérea e Marines dos Estados Unidos, dado que englobar três aeronaves num mesmo projeto atenuou os elevados custos de desenvolvimento comparando os três separadamente. 


No entanto, devido aos sucessivos problemas de desenvolvimento, o objetivo de baixo custo não foi atingido. Faz precisamente 10 anos que o F-35 efetuou o seu primeiro voo de teste em Dezembro de 2006. Fiquem bem. Jorge Ruivo






























































F-35 A Lightning II ou F-35 Joint Strike Fighter  é um programa que visa a produção de três aeronaves de caça multifunção, supersónicas e stealth, desenvolvidas para satisfazer as necessidades de uma transformação na nova geração de armamento.


O F-35 foi concebido como projeto de três caças de 5ª geração, CTOL F-35A JSF, STOVL F-35B JSF, CV F-35C JSF, de relativo baixo custo, para a Marinha, Força Aérea e Marines dos Estados Unidos, dado que englobar três aeronaves num mesmo projeto atenuou os elevados custos de desenvolvimento comparando os três separadamente. 


No entanto, devido aos sucessivos problemas de desenvolvimento, o objetivo de baixo custo não foi atingido. Faz precisamente 10 anos que o F-35 efetuou o seu primeiro voo de teste em Dezembro de 2006. Fiquem bem. Jorge Ruivo





























































sábado, 3 de dezembro de 2016

F-35 inicia treino integrado com F-16


Em Outubro passado os pilotos do 56th Fighter Wing começaram a voar missões de apoio directo e integrado com F-35 Lightning II e F-16 Fighting Falcon pela primeira vez como uma componente regular no currículo de treino na Base Aérea de Luke, nos Estados Unidos.

Este treino integrado vem como parte do próximo passo no desenvolvimento de treino e tácticas para ajudar os pilotos a tornarem-se mais eficientes na realização de missões futuristas e cenários de combate envolvendo caças da quarta e quinta geração. 

Este treino cumpre dois objectivos, primeiro expor os pilotos do F-35 a cenários de combate aéreo contra aeronaves da quarta geração capazes de imitar os adversários que os pilotos enfrentarão realisticamente nos campos de batalha de hoje e segundo, para fornecer pilotos de F-35 e F-16 com experiência de realização de missões de ataque conjuntas.

Fonte e Foto: U.S. Air Force


































































Em Outubro passado os pilotos do 56th Fighter Wing começaram a voar missões de apoio directo e integrado com F-35 Lightning II e F-16 Fighting Falcon pela primeira vez como uma componente regular no currículo de treino na Base Aérea de Luke, nos Estados Unidos.

Este treino integrado vem como parte do próximo passo no desenvolvimento de treino e tácticas para ajudar os pilotos a tornarem-se mais eficientes na realização de missões futuristas e cenários de combate envolvendo caças da quarta e quinta geração. 

Este treino cumpre dois objectivos, primeiro expor os pilotos do F-35 a cenários de combate aéreo contra aeronaves da quarta geração capazes de imitar os adversários que os pilotos enfrentarão realisticamente nos campos de batalha de hoje e segundo, para fornecer pilotos de F-35 e F-16 com experiência de realização de missões de ataque conjuntas.

Fonte e Foto: U.S. Air Force

































































LTV A-7E Corsair II * Foto do dia


Depois de muitos anos a voarem por cima da minha casa, agora é com alguma nostalgia que revejo o meu arquivo de fotos e encontro o A-7 Corsair. Esta foto foi tira no dia 24 de Julho de 2009 quando a Esquadra 336 Mira "Olympus" se fez representar nas comemorações dos 50 anos da Base Aérea de Monte Real. Aqui o 160616 " Fly Low Hit Hard" iniciava a sua viagem de regresso a casa, por sinal uma pintura fantástica.














































Depois de muitos anos a voarem por cima da minha casa, agora é com alguma nostalgia que revejo o meu arquivo de fotos e encontro o A-7 Corsair. Esta foto foi tira no dia 24 de Julho de 2009 quando a Esquadra 336 Mira "Olympus" se fez representar nas comemorações dos 50 anos da Base Aérea de Monte Real. Aqui o 160616 " Fly Low Hit Hard" iniciava a sua viagem de regresso a casa, por sinal uma pintura fantástica.













































sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Primeiro F-35 para o Japão


O primeiro F-35A Lightning II para a Força Aérea do Japão (JASDF) chegou a Luke AFB, Arizona, directamente da fábrica da Lockheed Martin em Fort Worth, Texas no dia 28 de Novembro e mais três F-35 devem ser entregues até o final deste ano.


O primeiro F-35A para o Japão foi apresentado numa cerimonia de lançamento oficial no passado dia 23 de setembro de 2016. Será o primeiro de quatro F-35As montados na fábrica de Fort Worth. Os restantes 38 F-35As para a JASDF serão montados nas instalações Mitsubishi Heavy Industries (MHI) e a parte final e check out (FACO) em Nagoya, no Japão.

A FACO japonesa realizará a montagem final e o check-out de 38 aeronaves F-35 Lightning II para serem entregues à JASDF. Os primeiros quatro F-35 estão a ser construídos na fábrica de Fort Worth, Texas. A equipa da Lockheed Martin e da MHI está trabalhando em conjunto para terminar as instalações da FACO e instalar os equipamentos e ferramentas necessários para a finalização e entrega aeronaves F-35 que irão sair da linha de montagem japonesa.
Fonte: www.f35.com















































O primeiro F-35A Lightning II para a Força Aérea do Japão (JASDF) chegou a Luke AFB, Arizona, directamente da fábrica da Lockheed Martin em Fort Worth, Texas no dia 28 de Novembro e mais três F-35 devem ser entregues até o final deste ano.


O primeiro F-35A para o Japão foi apresentado numa cerimonia de lançamento oficial no passado dia 23 de setembro de 2016. Será o primeiro de quatro F-35As montados na fábrica de Fort Worth. Os restantes 38 F-35As para a JASDF serão montados nas instalações Mitsubishi Heavy Industries (MHI) e a parte final e check out (FACO) em Nagoya, no Japão.

A FACO japonesa realizará a montagem final e o check-out de 38 aeronaves F-35 Lightning II para serem entregues à JASDF. Os primeiros quatro F-35 estão a ser construídos na fábrica de Fort Worth, Texas. A equipa da Lockheed Martin e da MHI está trabalhando em conjunto para terminar as instalações da FACO e instalar os equipamentos e ferramentas necessários para a finalização e entrega aeronaves F-35 que irão sair da linha de montagem japonesa.
Fonte: www.f35.com














































quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Kuwait vai comprar 28 Super Hornets


O Kuwait revelou recentemente que irá adquirir novos Super Hornet, no entanto só irá comprar apenas 28 unidades à Boeing e que a empresa americana irá ficar com os F/A 18 Hornet a operar atualmente na Força Aérea do Kuwait, revelou um alto oficial militar.



A proposta de venda das aeronaves Super Hornet F/A-l8 E/F melhorará a capacidade do Kuwait de enfrentar ameaças de guerra atuais e futuras. O Kuwait usará a capacidade realçada para reforçar sua defesa. Fiquem bem. Jorge Ruivo


















































O Kuwait revelou recentemente que irá adquirir novos Super Hornet, no entanto só irá comprar apenas 28 unidades à Boeing e que a empresa americana irá ficar com os F/A 18 Hornet a operar atualmente na Força Aérea do Kuwait, revelou um alto oficial militar.



A proposta de venda das aeronaves Super Hornet F/A-l8 E/F melhorará a capacidade do Kuwait de enfrentar ameaças de guerra atuais e futuras. O Kuwait usará a capacidade realçada para reforçar sua defesa. Fiquem bem. Jorge Ruivo

















































domingo, 27 de novembro de 2016

A-7P Corsair II - 1981-1999


A-7P Corsair II, uma realidade que terminou para nós em 1999. Iniciou em 1981 e durante 18 anos a Força Aérea operou esta aeronave num total de 50 mas que a história nos indica que nunca chegamos a esse numero. O A7P Corsair II veio substituir os já cansados F-86F Sabre que foi a aeronave que me despertou para esta doença da aviação.



Com o lote inicial de 20 aeronaves foi formada a Esquadra 302 Falcões e mais tarde com a chegada do segundo lote de mais 30 aeronaves foi formada a Esquadra 304 Magníficos. Nesse tempo digamos que abundavam A-7P Corsair II para fotografarmos, no entanto eu hoje deparo-me com uma escassez de fotografias desta magnifica aeronave.



Nestes dias apareceram umas fotos fantásticas do A-7 em voo, em que não podia deixar de as partilhar depois de pedir a devida autorização ao seu autor Pedro de Figueiredo, a quem eu agradeço a sua amabilidade. Fiquem bem. Jorge Ruivo























































A-7P Corsair II, uma realidade que terminou para nós em 1999. Iniciou em 1981 e durante 18 anos a Força Aérea operou esta aeronave num total de 50 mas que a história nos indica que nunca chegamos a esse numero. O A7P Corsair II veio substituir os já cansados F-86F Sabre que foi a aeronave que me despertou para esta doença da aviação.



Com o lote inicial de 20 aeronaves foi formada a Esquadra 302 Falcões e mais tarde com a chegada do segundo lote de mais 30 aeronaves foi formada a Esquadra 304 Magníficos. Nesse tempo digamos que abundavam A-7P Corsair II para fotografarmos, no entanto eu hoje deparo-me com uma escassez de fotografias desta magnifica aeronave.



Nestes dias apareceram umas fotos fantásticas do A-7 em voo, em que não podia deixar de as partilhar depois de pedir a devida autorização ao seu autor Pedro de Figueiredo, a quem eu agradeço a sua amabilidade. Fiquem bem. Jorge Ruivo






















































Alpha Jetman


No passado mês de Outubro, 3 pilotos equipados com Jetpack voaram em formação com a Patruille de France, com os 8 Alphajet da Força Aérea Francesa, numa coreografia aérea sem precedentes.


Isto tudo aconteceu juntarem-se no ar a uma altitude de 1.000m e a uma velocidade de 140 nós, aproximadamente 260 km/h, pode parecer fácil pelas imagens, mas requereu muita preparação para reduzir a turbulência e a instabilidade.


As imagens são da autoria da Airborn Filmes, empresa de produção, reconhecida mundialmente pela sua experiência em cinematografia aérea.


Fonte e fotos: Airborn Films







































































No passado mês de Outubro, 3 pilotos equipados com Jetpack voaram em formação com a Patruille de France, com os 8 Alphajet da Força Aérea Francesa, numa coreografia aérea sem precedentes.


Isto tudo aconteceu juntarem-se no ar a uma altitude de 1.000m e a uma velocidade de 140 nós, aproximadamente 260 km/h, pode parecer fácil pelas imagens, mas requereu muita preparação para reduzir a turbulência e a instabilidade.


As imagens são da autoria da Airborn Filmes, empresa de produção, reconhecida mundialmente pela sua experiência em cinematografia aérea.


Fonte e fotos: Airborn Films